26/11/2020 às 15h54min - Atualizada em 26/11/2020 às 15h54min

Dória declarou em entrevista que dispensará a aprovação da Anvisa para aplicar a vacina na população.

A Anvisa tem como função primordial a promoção da saúde da população, atuando no controle sanitário de diversos produtos, tais como medicamentos, alimentos e cosméticos; serviços e até mesmo na fiscalização de portos, fronteiras e aeroportos.

Cristina Barroso
(REPRODUÇÃO)
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que a Coronavac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, pode ser aplicada na população sem a aprovação formal da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Os critérios que a Anvisa tem são os mesmos de outras agências de vigilância sanitária que também estão avaliando a vacina Coronavac nos Estados Unidos, na Europa, sobretudo na Ásia. Se essas agências validarem a vacina, ela estará validada independentemente da própria Anvisa”, disse Doria à jornalista Rachel Sheherazade.

João Doria disse estar convicto de que Bruno Covas (PSDB) será reeleito para a prefeitura da capital do estado e chamou Guilherme Boulos (PSol) de “extremista”.

Ao longo da entrevista, Doria deu detalhes sobre os planos de distribuição da Coronavac em São Paulo , condenou a postura do Ministério da Saúde diante do desafio logístico de vacinar a população brasileira e reforçou seu rosário de críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A pressa que o governador João Dória tem em vacinar a popuação sem esperar a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), parece um pouco precipitada e irresponsável.  
A Anvisa tem como função primordial a promoção da saúde da população, atuando no controle sanitário de diversos produtos, tais como medicamentos, alimentos e cosméticos; serviços e até mesmo na fiscalização de portos, fronteiras e aeroportos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »