25/11/2020 às 10h21min - Atualizada em 25/11/2020 às 10h21min

China reage a fala de Eduardo Bolsonaro sobre 5g: “Vai arcar com as consequências”

Filho do presidente Jair Bolsonaro ventilou a possibilidade de espionagem cibernética feita pelo Partido Comunista da China

Vinicius Mariano
Metrópoles
A Embaixada da China rebateu, nesta terça-feira (24/11), as declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre espionagens cibernéticas que estariam sendo promovidas pelo Partido Comunista da China. Na manifestação, feita no Twitter, o parlamentar defendeu, ainda, a discriminação da tecnologia 5G do país asiático.


Na postagem, posteriormente apagada pelo parlamentar, o deputado federal afirmou que o Brasil irá aderir a um programa de tecnologia que “pretende proteger seus participantes de invasões e violações às informações particulares de cidadãos e empresas”. Eduardo se referia ao programa Clean Network, do governo federal.

O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirma que as espionagens cibernéticas “ocorrem em entidades classificadas como agressivas e inimigas da liberdade, a exemplo do Partido Comunista da China”.

Mundo vs. China
Outros países do mundo também já excluíram a China de suas redes 5G devido à espionagem. Na lista, está Suécia, Estados Unidos, Reino Unido, Portugal, Japão, França e outros.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »