10/11/2020 às 14h10min - Atualizada em 10/11/2020 às 14h10min

A desigualdade educacional da democrata Califórnia

Negros e latinos são segregados e pouco ensinados

Kaio Lopes
Da Redação
LOS ANGELES TIMES (REPRODUÇÃO)
A Califórnia novamente pintou o estado de azul nas eleições presidenciais: com as urnas prestes a serem todas apuradas, o democrata Joe Biden possui quase 65% dos votos. O ''Golden State'', muito além dos distritos de Beverly Hills e apesar da hipócrita indústria hollywoodiana, mantém, à um nível estadual, uma discrepância entre a educação oferecida aos brancos e asiáticos comparada aos negros e latinos. 

É praxe californiano, especialmente nas milionárias cerimônicas do Oscar, Grammy e Emmy, aquele discurso artístico sobre o quanto os EUA é desigual e, simultaneamente, tão capaz de superar as diferenças raciais. No entanto, o que Mark Ruffalo, Lady Gaga ou Jerry Seinfeld não te contam é o seguinte: o estado mais populoso do país é racialmente dividido entre crianças e jovens prodígias e outras pouco assistidas. 

Conforme relatam as estatísticas disponibilizadas pelo Departamento de Educação da Califórnia, o estado possui um alto nível de segregação étnica: dos seus 1.000 centros educacionais, 25 destes concentram 58% dos alunos negros; por outro lado, menos de 30% das matrículas escolares em escolas púbicas são dos brancos. 

PROFICIÊNCIA EM LEITURA E MATEMÁTICA:

Entre 2015 e 2019, conforme revela o mesmo estudo, o cenário mostra que os asiáticos-americanos possuem um índice de aprendizado sobre Matemática médio avaliado em 72,32%, enquanto os indianos aparecem com 25,14%, seguidos, respectivamente, pelos latinos (24,98%) e negros (18,66%). Os brancos têm 52,53% de eficiência.

No mesmo período de avaliação, em relação à leitura, os dados mantêm a desigualdade: asiáticos-americanos com média de 75,16%, brancos em seguida com 63,91%, latinos (37,2%), indianos (36,14%) e negros (31,10%). 

A INCIDÊNCIA DA DESVANTAGEM ECONÔMICA NOS APRENDIZADOS:

A disparidade financeira também incide sobre os números. Como, por exemplo, quando em Leitura os asiáticos-americanos e brancos, em média, possuem 76,93% de vantagens econômicas na distribuição do aprendizado, e os negros, latinos e indianos, por suas vezes, apenas 53,33%; em Matemática, a ordem não sofre modificações colocacionais: 72% e 34.33% respectivamente. 

GRADUAÇÕES E SUSPENSÕES:

A desigualdade também pode ser notada no que se refere aos diplomas adquiridos: enquanto 91,2% dos asiáticos-americanos e brancos concluíram suas grades acadêmicas e foram graduados, entre os negros, latinos e indianos o número é de 77,63%. 

Entre 2018 e 2019, a média de suspensão escolar entre negros, latinos e indianos foi de 6,7% contra 2% dos asiáticos-americanos e brancos. E pior: os negros, individualmente, tiveram 9,1% dos alunos suspensos, uma diferença substancial de 300% sobre os 3% dos brancos. 

É sabido, apesar de tudo, que o problema racial nos EUA não se restringe à Califórnia e estende-se por entre os demais 49 estados e o Distrito de Colúmbia. Porém, considerando os investimentos do estado e sua possibilidade de controle dos recursos no país, os números são vexatórios e provam o quanto os democratas, a rigor dos seus princípios esquerdistas, acusam os outros daquilo que os próprios são. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.2%
9.8%