09/11/2020 às 10h09min - Atualizada em 09/11/2020 às 10h09min

STJ e Polícia Federal temem vazamento em massa de informações.

A polícia Federal abriu um inquérito para apurar o ataque, que já afetou o julgamento de mais de 12 mi processos.

Cristina Barroso
(REPRODUÇÃO)
O hacker que invadiu o sistema informatizado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) na terça-feira (3) continua mantendo sob seu controle documentos sigilosos que correm na Corte.
Os peritos responsáveis pela investigação do ataque, temem que o conteúdo desses documentos seja copiado e que o STJ seja alvo de um vazamento em massa de informações, como aconteceu com os integrantes da Lava Jato que tiveram seus celulares invadidos e mensagens roubadas e divulgadas pela imprensa, no ano passado.

Tramitam na Corte cerca de 260 mil processos recuperados por meio de um sistema de backup que foram capturados pelo racker, efetivamente, copiados pelo invasor, mas essa possibilidade é o que mais tem preocupado os ministros da Corte.
A polícia Federal abriu um inquérito para apurar o ataque, que já afetou o julgamento de mais de 12 mi processos.
O tribunal também está contando com a colaboração do Centro de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro para auxiliar a Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação da Corte na restauração dos sistemas de informática.
Oficialmente, o STJ não revela se advogados com interesse em processos que tramitam no tribunal já procuraram a Corte para avaliar um possível prejuízo com o vazamento de dados. No entanto, há um "risco elevado" de o hacker já ter baixado documentos dos servidores do tribunal.

Na quinta-feira, uma nota emitida pelo STJ admitia que o ataque hacker bloqueou, temporariamente, "com o uso de criptografia, o acesso aos dados, os quais, todavia, estão preservados nos sistemas de backup do tribunal". E completou: "Permanecem íntegras as informações referentes aos processos judiciais, contas de e-mails e contratos administrativos, mantendo-se inalterados os compromissos financeiros do tribunal, inclusive quanto à sua folha de pagamento".

Em novo comunicado emitido neste sábado, dia 7, o STJ disse que o trabalho de restabelecimento dos sistemas do tribunal "avança conforme o esperado e com as precauções que a situação demanda".
Está mantida, segundo a Corte, a previsão de retomada gradual das operações dos sistemas de informática do Tribunal, a partir do Sistema Justiça - principal sistema da Corte -, para a próxima segunda-feira, (9). Os dados estão sendo recuperados a partir do backup.
Além de contar com a colaboração do Comando de Defesa Cibernética do Exército brasileiro, a presidência do STJ recebeu também, apoio da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia.

"Processos encaminhados à presidência do STJ seguem sendo examinados e decididos dentro dos prazos estabelecidos na legislação processual, inclusive durante o fim de semana. A Polícia Federal está apurando os efeitos do ataque hacker à rede de tecnologia da informação do tribunal, inclusive com relação à extensão do acesso aos arquivos, bem como sobre eventual cópia de dados. A investigação do crime segue em inquérito sigiloso", completa.
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »