05/11/2020 às 12h16min - Atualizada em 05/11/2020 às 12h16min

Em setembro, FBI descobria cédulas de correio descartadas de militares que votaram em Trump

Vinicius Mariano
EpochTimes
O FBI descobriu, em setembro, cédulas dos Correios descartadas que continham voto para o presidente Donald Trump na Pensilvânia.

“Neste momento podemos confirmar que um pequeno número de votos militares foi descartado. Os investigadores recuperaram nove cédulas até agora. Algumas dessas cédulas podem ser atribuídas”, disse a Procuradoria do Distrito Médio da Pensilvânia em sua declaração inicial.

Em uma declaração revisada divulgada na tarde de quinta-feira, as autoridades disseram que sete das cédulas recuperadas tinham seu voto em Trump e que as outras duas “foram lacradas em seus respectivos envelopes pela equipe eleitoral de Luzerne antes do FBI recuperá-las e o conteúdo dessas 2 cédulas é desconhecido”.

Investigadores federais, incluindo o Ministério Público dos EUA e o FBI, lançaram uma investigação sobre possíveis problemas com votação pelo correio no condado de Luzerne na segunda-feira, a pedido do promotor distrital do condado de Luzerne, Stefanie Salavantis.

O gabinete de Salavantis disse em um comunicado à imprensa que os administradores do condado relataram problemas com algumas cédulas enviadas pelo correio que o Escritório de Eleições recebeu na semana passada. O escritório iniciou uma investigação antes de entregá-la às autoridades federais.

“Estamos confiantes de que isso será resolvido com sucesso para que não afete a integridade do processo eleitoral”, disse Salavantis ao Citizen’s Voice.

O gabinete do procurador distrital não respondeu a um pedido de mais informações.

Agentes do FBI que trabalham com a Polícia da Pensilvânia realizaram várias entrevistas e analisaram as evidências físicas, disse o escritório do promotor David Free em 24 de setembro.

Os funcionários eleitorais do condado têm cooperado com a investigação, de acordo com Freed.

Shelby Watchilla, diretora eleitoral do condado de Luzerne, não respondeu a uma mensagem de correio de voz.

De acordo com o site do condado, eleitores militares e estrangeiros podem se registrar e solicitar uma cédula oficial de ausente a qualquer momento antes das primárias ou eleições.

O condado de Luzerne, com uma população de aproximadamente 317.000 habitantes, está localizado no nordeste da Pensilvânia, nos arredores de Scranton.

O condado elegeu Barack Obama em 2008 e 2012, mas mudou para Trump em 2016. Trump ganhou o condado por 20 pontos, ajudando-o a garantir os votos eleitorais do estado.

Matt Wolking, porta-voz da campanha de Trump, disse nas redes sociais sobre as cédulas descartadas que “os democratas estão tentando roubar a eleição”.

O presidente Trump disse a repórteres fora da Casa Branca: “Temos que ter cuidado com as cédulas. As cédulas são uma grande fraude. Eles sabem que encontraram, pelo que entendi, oito cédulas em uma lata de lixo em algum lugar. Eles descobriram, relatou um dos jornais, que encontraram muitas cédulas em um rio. Eles às descartam se tiverem o nome de Trump escrito lá, eu acho”.

“Queremos ter certeza de que a eleição é honesta e não tenho certeza se pode ser. Não sei se pode ser com toda esta situação”, acrescentou mais tarde.

Trump alertou repetidamente sobre os problemas potenciais de aumentar a participação na votação por correspondência a níveis sem precedentes nesta eleição, assim como o procurador-geral William Barr e outros funcionários.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, apontou na quinta-feira os problemas que surgiram com o voto pelo correio, incluindo uma eleição fracassada em Paterson, NJ, e várias acusações criminais no estado da Califórnia.

“Em 2016 oram descartadas 1% das cédulas de correio, o que totalizou 319.000 cédulas descartadas. E se todo o país votar pelo correio, dá para imaginar que esse número será bem maior do que isso”, acrescentou ele durante o briefing com a imprensa.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »