04/11/2020 às 15h59min - Atualizada em 04/11/2020 às 15h59min

Campanha de Trump vai pedir recontagem de votos em Wisconsin

Interrupção de contagem de votos durante a madrugada fez Joe Biden disparar e levantou suspeitas

Vinicius Mariano
O diretor de campanha do presidente Donald Trump, Bill Stepien, disse que o candidato republicano irá pedir recontagem dos votos das eleições presidenciais no estado de Wisconsin "imediatamente".

"Wisconsin tem sido uma disputa frágil como sempre soubemos que seria. Tem surgido relatos de irregularidades em vários condados de Wisconsin, que levantam sérias dúvidas sobre a validade dos resultados", declarou Bill Stepien.

Até as 15h desta quarta-feira (4), o candidato rival Joe Biden, do partido democrata, liderava a apuração em Wisconsin com pouco mais de 49,5% dos votos no estado.

Biden bate recorde de votos
O candidato democrata Joe Biden ultrapassou, na contagem de votos das eleições presidenciais americanas nesta quarta-feira (4), o recorde de votos já recebidos por um candidato na história eleitoral dos Estados Unidos. O ex-presidente Barack Obama, de quem Biden foi vice, detinha o recorde anterior.

Segundo a agência de notícias americana Associated Press, Biden recebeu 70.005.562 votos, o equivalente a 50,16% dos votos apurados até por volta das 15h. O recorde anterior, de 2008, foram os 69.498.516 votos dados a Barack Obama.


Voto popular não basta
Nas eleições americanas, não basta ter a maioria do voto popular para vencer, como no Brasil e outras democracias do mundo. É necessário que o candidato à Presidência conquiste a maioria dos delegados do Colégio Eleitoral.

Em 2016, por exemplo, Hillary Clinton teve a maioria dos votos diretos, mas não foi eleita, porque o Colégio escolheu Donald Trump. O mesmo aconteceu em 2000, quando Bush disputou com o democrata AlGore, que venceu no voto popular, mas perdeu no Colégio Eleitoral, que não tem obrigação de seguir o voto dos eleitores.

Até a tarde desta quarta, o candidato democrata, Joe Biden, tinha projeção de vitória de 238 colégios eleitorais, e Trump, de 213. No entanto, a decisão do Colégio é imprevisível e pode divergir, como explicado, do voto popular. Para ser declarado vencedor, é necessário o candidato pelo menos de 270 colégios. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »