12/07/2020 às 17h34min - Atualizada em 12/07/2020 às 17h34min

Cuba e Venezuela usaram cloroquina no tratamento de coronavírus

Remédio sofreu críticas e perseguições após ser recomendado pelos Presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump

Vinicius Mariano
Cuba, ditadura socialista administrada por um governo de esquerda, está utilizando no tratamento de pacientes com covid-19 a cloroquina, remédio que foi alvo de polêmicas depois de ser considerado por Donald Trump e Jair Bolsonaro. Segundos informações divulgadas, Cuba teve até agora 2,4 milhões de infectados e 2,2 milhões de curados. No entanto, não se pode confiar com certeza absoluta nesses dados, visto que Cuba é uma ditadura que sofre com controle da imprensa e da internet, logo, os dados são necessariamente filtrados pelo governo.

Cuba, por outro lado, não foi o único país administrado pela esquerda que aderiu à cloroquina. Em maio, o ditador da Venezuela, Nicolaz Maduro, anunciou no Twitter que o país estava produzindo o medicamento para utilizá-lo em casos de coronavírus: "Parabenizo o pessoal científico da saúde de nosso país, que trabalha de boa fé e amor para proteger a saúde das pessoas. Com eles, avançamos na produção de difosfato de cloroquina, um medicamento eficaz para o tratamento contra o Covid-19. Sim, nós podemos Venezuela!", escreveu o ditador em um tweet.

A revista Lancet publicou em maio um estudo com dados falsos sobre a cloroquina, mas foi retirado do ar após a comunidade científica internacional questionar os dados, que foram comprovados que eram falsos em junho.



 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »