20/10/2020 às 10h25min - Atualizada em 20/10/2020 às 10h25min

Após Doria falar em vacina obrigatória em SP, Covas nega necessidade da medida na capital

Vinicius Mariano
Quatro dias após João Doria (PSDB) dizer que a aplicação da vacina contra a covid-19 em São Paulo será obrigatória, o prefeito Bruno Covas, do mesmo partido do governador, negou a necessidade da medida na capital. A questão entrou no centro do debate político, e ontem o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em contraposição a Doria, reiterou que a vacina não seria obrigatória, uma vez que cabe ao Ministério da Saúde decidir a obrigatoriedade.

“(Não há) nenhuma necessidade de tornar (a vacina) obrigatória”, afirmou Covas nesta terça-feira (20) em entrevista à Rádio Eldorado. Segundo ele, a Prefeitura tem feito “campanhas de vacinação em que mais de 90% da população participa, se envolve”. Por isso, afirma, os paulistanos devem aderir à vacina sem que seja necessário torná-la obrigatória. “É o que acontece com outras vacinas, não tem nenhuma novidade”, disse.

Questionado se colocaria grupos da população para terem prioridade na vacinação, Covas afirmou que este tipo de decisão deve vir “no momento apropriado”, e disse que “não se sabe nem quando a vacina vai ser disponibilizada, quantos lotes vão ser disponibilizados”.

A obrigatoriedade da vacina proposta por João Doria levantou desconfiança por parte da população, que vê com suspeita uma vacina feita às pressas para uma doença que não é muito conhecida ainda.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »