10/10/2020 às 20h11min - Atualizada em 10/10/2020 às 20h11min

Em desfile a Coréia do Norte apresenta míssil "monstro"

Analistas disseram que o míssil, que foi mostrado em um veículo transportador com 11 eixos, seria um dos maiores mísseis balísticos intercontinentais móveis rodoviários do mundo se entrar em operação.

Cristina Barroso
CNBC
(REPRODUÇÃO)
A Coréia do Norte revelou mísseis balísticos intercontinentais, nunca vistos em um desfile militar sem precedentes antes do amanhecer, que exibiu as armas de longo alcance do país pela primeira vez em dois anos.
Analistas disseram que o míssil, que foi mostrado em um veículo transportador com 11 eixos, seria um dos maiores mísseis balísticos intercontinentais (ICBMs) móveis rodoviários do mundo se se tornar operacional.

“Este míssil é um monstro”, disse Melissa Hanham, vice-diretora da Rede Nuclear Aberta.

Também foi exibido o Hwasong-15, que é o míssil de maior alcance já testado pela Coréia do Norte, e o que parecia ser um novo míssil balístico lançado por submarino (SLBM).
Antes do desfile, que foi realizado para marcar o 75º aniversário da fundação de seu Partido dos Trabalhadores, autoridades na Coréia do Sul e nos Estados Unidos disseram que Kim Jong Un poderia usar o evento para revelar uma nova “arma estratégica”, conforme prometido anteriormente

Um alto funcionário do governo dos Estados Unidos chamou a exibição do ICBM de “decepcionante” e pediu ao governo que negociasse para conseguir uma desnuclearização completa.
O desfile apresentou mísseis balísticos da Coréia do Norte pela primeira vez desde que Kim começou a se reunir com líderes internacionais, incluindo o presidente dos EUA, Donald Trump, em 2018.

“Continuaremos a construir nosso poder de defesa nacional e dissuasão de guerra autodefensiva”, disse Kim, mas prometeu que o poder militar do país não seria usado preventivamente. 

Ele não fez nenhuma menção direta aos Estados Unidos ou às negociações de desnuclearização agora paralisadas.
Kim culpou sanções internacionais, tufões e o coronavírus por impedi-lo de cumprir as promessas de progresso econômico.
“Estou envergonhado por nunca ter sido capaz de retribuir adequadamente por sua enorme confiança”, disse ele. “Meus esforços e devoção não foram suficientes para tirar nosso povo de um meio de vida difícil.”

O vídeo mostrou Kim fazendo uma aparição quando um relógio bateu meia-noite. Vestido com um terno cinza e gravata, ele acenou para a multidão e aceitou flores das crianças enquanto estava cercado por oficiais militares na recentemente renovada Praça Kim Il Sung de Pyongyang.
Kim falou por quase meia hora, muitas vezes suando visivelmente apesar do ar frio da manhã, derramando lágrimas ao agradecer às tropas e sorrindo e rindo enquanto observava os mísseis.


As pessoas assistem a um noticiário de televisão de um discurso do líder da Coreia do Norte Kim Jong Un durante as comemorações do 75º aniversário do Partido dos Trabalhadores do Norte, realizadas em Pyongyang, em uma estação ferroviária em Seul em 10 de outubro de 2020.
JUNG YEON-JE | AFP | Getty Images
 

O desfile foi altamente coreografado, com milhares de soldados marchando em formação, exibições de novos equipamentos militares convencionais, incluindo tanques, e jatos de combate lançando sinalizadores e fogos de artifício.
Especialistas disseram que o novo e maior ICBM é provavelmente projetado para transportar vários veículos de reentrada independentes (MIRVs), permitindo que ele ataque mais alvos e tornando a interceptação mais difícil.
O novo ICBM provavelmente pretende dissipar as dúvidas sobre a capacidade da Coréia do Norte de atacar o território continental dos Estados Unidos e uma ameaça implícita de que eles estão se preparando para testar o míssil maior, disse Markus Garlauskas, ex-oficial de inteligência dos EUA na Coréia do Norte.

“Se o Hwasong-15 podia carregar uma ogiva nuclear ‘supergrande’ para qualquer lugar dos Estados Unidos, a questão natural é o que esse míssil maior pode carregar?” ele disse.
 
Coronavírus

Kim ficou visivelmente emocionado ao agradecer às tropas por seu sacrifício em resposta a desastres naturais e prevenção de um surto de coronavírus.
Ele disse estar grato por nenhum norte-coreano ter testado positivo para a doença. Essa afirmaçã, a Coréia do Sul e os Estados Unidos já questionaram.
Embora os participantes de outros eventos comemorativos fossem mostrados usando máscaras, ninguém no desfile parecia usá-las.
Kim disse esperar que as Coréias do Norte e do Sul se juntem novamente quando a crise global do coronavírus acabar.

Autoridades sul-coreanas disseram esta semana que Kim poderia usar o evento como uma demonstração de poder de “baixa intensidade” antes das eleições presidenciais dos EUA em 3 de novembro, quando as negociações de desnuclearização com Washington foram paralisadas.

Em uma mensagem de parabéns a Kim pelo aniversário, o presidente chinês Xi Jinping disse que pretendia “defender, consolidar e desenvolver” laços com a Coréia do Norte, disse sua mídia estatal no sábado.
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.7%
9.3%