05/10/2020 às 09h37min - Atualizada em 05/10/2020 às 09h37min

Inicia hoje registro de chaves digitais do Pix

Cliente poderá cadastrar e-mail, telefone ou CPF e CNPJ

Luiz Custodio
agenciabrasil

Novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC), previsto para começar a funcionar em novembro, o Pix entrará oficialmente em teste nesta segunda-feira (5). A partir de hoje, os clientes poderão registrar as chaves digitais de endereçamento para enviar ou receber recursos em 644 instituições financeiras.

Segundo o BC, as chaves são o “método fácil e ágil” de identificação do recebedor. Desta forma, o pagador não precisará de dados como número da instituição, agência e conta para fazer uma transferência.

Para cadastrar a chave, basta acessar o aplicativo da instituição em que tem conta e fazer o registro, vinculando a uma conta específica uma das três informações: número de telefone celular, e-mail ou CPF/CNPJ. As informações serão armazenadas em uma plataforma tecnológica desenvolvida e operada pelo BC, chamada Diretório Identificador de Contas Transacionais (DICT), um dos componentes do Pix.

Anteriormente previsto para iniciar em 3 de novembro, o registro das Chaves Pix foi antecipado para que os clientes e as instituições tenham mais tempo para se familiarizar com o novo sistema. Estarão disponíveis antecipadamente todas as funcionalidades para a gestão das chaves, como registro, exclusão, alteração, reivindicação de posse e portabilidade. As regras específicas constam de regulamento publicado pelo BC em agosto.

Neste período antecipado, a participação das instituições financeiras e de pagamentos no registro das chaves ocorre de forma facultativa. O único pré-requisito exigido é a conclusão bem-sucedida da etapa de homologação.

Operação

O Pix funcionará 24 horas por dia e reduzirá para 10 segundos o tempo de liquidação de pagamentos entre estabelecimentos com conta em bancos e instituições diferentes. As transações poderão ser feitas por meio de QR Code (versão avançada do código de barras lida pela câmera do celular) ou com base na chave cadastrada.

A nova ferramenta trará agilidade em relação a sistemas atuais de pagamento, como a transferência eletrônica disponível (TED), que leva até duas horas para ser compensada, e o documento de ordem de crédito (DOC), liquidado apenas no dia útil seguinte.


No caso de empresas, a plataforma traz vantagens em relação ao pagamento por cartão de débito. Isso porque o consumidor pagante não precisará ter conta em banco, como ocorre com os cartões. Bastará abastecer a carteira digital do Pix para enviar e receber dinheiro.

Cronograma

5 de outubro: Início do processo de registro de chaves de endereçamento

3 de novembro: Início da operação restrita do Pix

16 de novembro: Lançamento do Pix para toda a população


 

O que é PIX e como funciona o pagamento instantâneo do Banco Central

PIX é o nome de um novo meio de pagamentos instantâneos em transações digitais no Brasil. Criado pelo Banco Central, foi anunciado em fevereiro de 2020 e possui previsão para operar no país a partir de novembro do mesmo ano. O sistema promete simplificar transferências e torná-los disponíveis durante todas as horas do dia, em todos os dias da semana, através de bancos e outras instituições de pagamentos.

 

O diferencial do PIX consiste em oferecer transações em tempo real. A partir do momento em que um pagamento é feito, o valor é imediatamente transferido para o recebedor - seja uma pessoa física, pessoa jurídica ou empresa. Além disso, o sistema funcionará 24 horas por dia, 7 dias por semana, permitindo pagamentos a qualquer momento. Todas as movimentações passam por uma base de dados única e centralizada, gerenciada pelo Banco Central, funcionando 24 horas por dia.

Outro fator importante é a facilidade para realizar os pagamentos. Ao invés de solicitar informações de agência e conta, como exigem transações bancárias atuais, o PIX usará opções mais simplificadas. São três: através de uma chave de identificação, como telefone, CPF, ou e-mail; por meio de QR Code e através de tecnologias por aproximação, como a Near-Field Comunication (NFC).

Nos pagamentos com QR Code, serão oferecidos dois tipos diferentes: um dinâmico, que altera o código para cada transação e deve ser mais utilizado em operações comerciais; e um estático, para ser usado em diversas transações e com possibilidade de alteração de valor, voltado para pessoas físicas. O cadastro para acesso ao PIX será disponibilizado diretamente pelas instituições financeiras.

 

PIX, DOC e TED: quais as diferenças?

O logo do PIX (Imagem: Divulgação/Banco Central)

A chegada do PIX promete ocupar o lugar de DOC e TED, os dois serviços atuais de transferências entre contas. Ainda que esses métodos continuem existindo, o novo sistema do Banco Central traz vantagens e algumas diferenças. A mais notável está no horário de funcionamento: tanto DOC como TED operam apenas em dias úteis, dentro do horário dos bancos.

Atualmente, a TED é a operação mais comum por conseguir concluir a transferência no mesmo dia em que é realizada e não possuir limite de valores pagos. A DOC, por sua vez, só disponibiliza o valor no dia seguinte e só aceita valores até R$4.999,99. A PIX poderá ser feita a qualquer momento, sem limite de valor, e disponibilizará a quantia para o recebedor em alguns segundos após o pagamento. Para reforçar a segurança, as transações no novo sistema notificarão o pagador e o recebedor após a conclusão.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »