18/09/2020 às 00h39min - Atualizada em 18/09/2020 às 00h39min

Marco Aurélio adia decisão sobre recurso de Bolsonaro.

O magistrado submeteu o caso à apreciação do plenário, adiando a sua decisão.

Cristina Barroso
Reprodução
A decisão do ministro Celso de Mello, que obriga o presidente Jair Bolsonaro a prestar depoimento pessoalmente no inquérito que apura uma suposta interferência política na Polícia Federal (PF), ocasionou uma saia justa entre os integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF). 
 
A Advocacia Geral da União (AGU) propôs recurso contra a determinação do ministro Celso de Mello, para que o presidente da República preste depoimento presencial para a Polícia Federal,  e encaminhou o recurso para o ministro Marco Aurélio de Mello.
 


O magistrado submeteu o caso à apreciação do plenário, adiando a sua decisão.

O ministro já decidiu pela suspensão do inquérito até a decisão do plenário.

Alguns ministros jáse manifestaram favoráveis ao recurso da AGU, segundo informações.

Celso de Mello deixa o tribunal no próximo mês com a chegada de sua aposentadoria compulsória.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »