17/09/2020 às 12h31min - Atualizada em 17/09/2020 às 12h31min

Funcionários dos Correios na mira da Polícia Federal.

A finalidade desta Operação é desarticular o grupo criminoso que se utilizava da estrutura dos Correios para o cometimento de fraudes, nas cidades de São Luiz/MA, Barreirinhas/MA, Bacaba l/MA, Santa Inês/MA, São Luiz Gonzaga/MA, Lago Verde/MA, Codó/MA e Coelho Neto/MA.

Cristina Barroso
Reprodução
A “Operação Mercancia Postal” foi deflagrada nesta manhã de quinta-feira (17) pela Polícia Federal apoiada pelo Ministério Público.
A finalidade desta Operação é desarticular o grupo criminoso que se utilizava da estrutura dos Correios para o cometimento de fraudes, nas cidades de São Luiz/MA, Barreirinhas/MA, Bacaba l/MA, Santa Inês/MA, São Luiz Gonzaga/MA, Lago Verde/MA, Codó/MA e Coelho Neto/MA.

Policiais federais divididos em equipes, cumpriram 16 mandados de busca e apreensão, 6 mandados de prisão temporária e 8  mandados de intimação.
Foi determinado também o seqüestro de bens dos principais investigados no valor de R$ 933 mil, pela Subseção Judiciária de Bacaba/MA, decorrente de representações da autoridade policial responsável pelos dois inquéritos.

A Coordenação de Segurança Coorporativa dos Correios declarou conforme informações obtidas em dois Inquéritos Policiais, decorrentes da Operação “Hermes e o Gado II”, informou que há  indícios que empregados dos Correios estariam:

- Simulando roubos e furtos para se apropriarem de valores das agências.
- Cobrando propina para revalidação de senhas de benefícios previdenciários, no procedimento de “Prova de Vida”.
- Criando CPFs em nome de pessoas fictícias para o recebimento fraudulento de benefícios assistenciais do Governo Federal, entre eles o auxílio emergencial pago em razão da pandemia.

Caso as suspeitas se confirmem, os investigados poderão responder por roubo (Art. 157 do CPB), furto (Art. 155 do CPB), peculato (Art. 312, caput do CPB), peculato eletrônico (Art. 313-A do CPB), falsa comunicação de crime (Art. 340, caput do CPB), estelionato majorado (Art. 171 do CPB) e associação criminosa (Art. 288 do CPB).
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.7%
9.3%