16/09/2020 às 17h49min - Atualizada em 16/09/2020 às 17h49min

Cabral é alvo de mais uma denúncia do MPF por corrupção.

Preso desde 2016 o ex-governador do Rio de Janeiro é alvo de mais uma denúncia pelo Ministério Público Federal (MPF) por corrupção passiva e ativa.

Cristina Barroso
Reprodução
Preso desde 2016 o ex-governador do Rio de Janeiro é alvo de mais uma denúncia pelo Ministério Público Federal (MPF) por corrupção passiva e ativa.
Luiz Carlos Bezerra, apontado como operador financeiro, e o dono da Construtora Macadame, Maciste Granha de Mello Filho, também foram denunciados.
O empresário é suspeito de pagar propina a organização criminosa de Cabral em função de contratos com o Departamento de Estrada e Rodagens (DER).
Maciste é acusado por organização criminsa.

Os registros contábeis apreendidos com Bezerra na operação Calicute, demonstram que Maciste efetuou entre os anos de 2011 e 2017, ao menos oito pagamentos à organização criminosa. Esses pagamentos consistiam em valores que variavam de R$ 25 mil e R$ 100 mil, totalizando mais de R$ 550 mil reais.

A Construtora Macadame possuía contratos com o DER para executar obras estaduais.
Apenas na rodovia RJ-125 recebeu R$ 118 milhões por obras executadas.
Os valores foram pagos em espécie diretamente a Bezerra.



“Como se vê, o denunciado Sérgio Cabral, no exercício do seu mandato como governador do Estado do Rio de Janeiro, solicitou, aceitou promessa e efetivamente recebeu vantagem indevida para exercer o seu cargo com especial atenção para os interesses privados do denunciado Maciste Granha de Mello Filho”, dizia um trecho da denúncia da Lava Jato no Rio de Janeiro.

A proximidade de Maciste com outros membros da organização criminosa foi revelada nas investigações.
Além de vizinho de Cabral o empresário participou de eventos sociais, como o aniversário de Sergio de Castro Oliveira, outro operador financeiro de Cabral.
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.2%
9.8%