16/09/2020 às 12h35min - Atualizada em 16/09/2020 às 12h35min

"Não vá ao hospital, espere ter falta de ar". Mas foi o mundo que errou?

"Eu acho que o mundo inteiro pautou uma coisa chamada 'não vá ao hospital, espere ter falta de ar', e a gente viu no decorrer da evolução, acho que o mundo errou, o CDC errou, a OMS errou. É preciso que se diga claramente", apontou Dr. Cabeto.

Cristina Barroso
O Secretário de Saúde  Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, em entrevista coletiva nesta segunda-feira (14), declarou que ao fazer um balanço das ações voltadas ao combate da pandemia constatou que foi um erro orientar as pessoas gripadas, assintomáticas e os não grave poderiam ficar em casa.
Ele afirmou que a “forma de comunicação inicial”, ainda no mês de março, quando foram confirmados os primeiros infectados, poderia ter sido mais assertiva.

No entanto o Ministério da Saúde sob o comando de Luiz Henrique  Mandetta, que ocupou o cargo no início da pandemia e foi demitido em abril por divergências com Bolsonaro, recomendava que os pacientes com suspeita de Covid-19 ou mesmo com a doença confirmada que não tivessem sintomas graves fossem tratados em casa, de forma a evitar um risco maior de contágio e a superlotação das unidades de saúde.

Segundo o ministro, esse protocolo era recomendado pelos principais pesquisadores do país e do mundo.

A atual equipe do ministério, no entanto, comandada pelo general Eduardo Pazuello, mudou a recomendação e passou a orientar todas as pessoas com suspeita de Covid-19 a procurarem atendimento médico imediatamente, afirmando que a recomendação anterior foi responsável por muitas mortes de pessoas que procuravam atendimento já em estado grave.

No decorrer da pandemia “o atendimento precoce provou ser eficaz no melhoramento da condição clínica do paciente”.

"A gente viu que, quando esse doente chega mais precoce, você melhora a qualidade da estratificação do risco, melhora o resultado do tratamento. Acho que essa forma de comunicar poderia ter sido melhor", avaliou Dr. Cabeto.

"Eu acho que o mundo inteiro pautou uma coisa chamada 'não vá ao hospital, espere ter falta de ar', e a gente viu no decorrer da evolução, acho que o mundo errou, o CDC errou, a OMS errou. É preciso que se diga claramente", apontou Dr. Cabeto.
 
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.2%
9.8%