28/08/2020 às 10h01min - Atualizada em 28/08/2020 às 10h01min

Cadê João de Deus?

O processo que investiga todas as acusações contra o curandeiro João de Deus, que tornou-se famoso internacionalmente, segue em segredo de justiça.

Google reprodução
O processo que investiga todas as acusações contra o curandeiro João de Deus, que tornou-se famoso internacionalmente, segue em segredo de justiça.
Faremos um breve resumo das acusações noticiadas pela imprensa, de forma que esse caso não caia no esquecimento.
Nesse momento que o assunto 'desaparecimento de crianças' está estarrecendo o mundo, não podemos deixar que esse processo fique fora dos holofotes da mídia.
Vamos as acusações:

Segundo matéria publicada no site australiano Nine.com.au, em dezembro de 2018, a celebridade curandeira brasileira acusada de abusar sexualmente de centenas de mulheres agora enfrenta acusações de que vendeu bebês a estrangeiros, incluindo australianos, por até US $ 70.000 cada.
João Teixeira de Faria, também conhecido como João de Deus, foi preso no Brasil em dezembro após centenas de pessoas apresentarem denúncias de estupro e ameaças de violência. 
Muitos alegaram que eram menores de idade na época do alegado abuso.
Agora, João de Deus foi atingido por novas afirmações impressionantes de que ele operava uma quadrilha de venda de bebês e tráfico de pessoas em seu complexo espiritual em Abadiânia, 130 km a sudoeste de Brasília.
Os promotores teriam recebido informações de que um número desconhecido de pais adotivos de cinco países, incluindo Austrália e Estados Unidos, compraram bebês brasileiros por um preço entre US $ 27.000 e US $ 70.000, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo .
As crianças nasceram de mães pobres que viviam ao redor do complexo de João de Deus, noticiou o jornal.

Os negócios para os bebês teriam sido negociados por guias, nome dado aos fiéis de João de Deus que moram em países ocidentais e auxiliam nos planos de viagem de quem deseja visitar o centro no Brasil.
Por meio de seu advogado, João de Deus negou todas as acusações e afirmou que não havia evidências para apoiar as reivindicações. 
Ele está sob custódia desde sua prisão em dezembro e deve ser interrogado por investigadores hoje.
Milhares de australianos, muitos sofrendo de doenças terminais ou debilitantes, viajaram para o retiro espiritual de João de Deus, Casa de Dom Inácio de Loyola.
Os críticos argumentaram que o curandeiro não passa de um charlatão, espoliando os vulneráveis ​​por milhões de dólares.

Oprah Winfrey visitou João de Deus em 2012, para apresentá-lo em um episódio de seu programa extremamente popular distribuído em todo o mundo. Depois disso, a questionável estrela de João de Deus disparou para novas alturas perigosas.
De acordo com o 60 Minutes, o complexo de cura pela fé de João de Deus, também recebeu a visita da supermodelo Naomi Campbell e do jogador de futebol brasileiro Ronaldo.



 
Documentos judiciais mostram que João de Deus tentou sacar cerca de US $ 12 milhões de suas contas bancárias antes de se entregar à polícia em 16 de dezembro sob a acusação de estupro.

Sabrina Bittencourt, a mulher que trouxe centenas de denúncias de abuso sexual a polícia, está atualmente escondida e teme por sua segurança.
A Sra. Bittencourt foi responsável pelas recentes acusações de tráfico de bebês e escravidão sexual e alertou os promotores em São Paulo sobre essas acusações.
De acordo com a Sra. Bittencourt, as mulheres locais receberam alimentos para suas famílias em troca de engravidar.
Não se sabe quantos australianos, se houver, poderiam ter comprado um bebê ou sido potencialmente abusados ​​por ele.
Um porta-voz da Polícia Federal australiana disse ao nine.com.au que não seria apropriado que a AFP discutisse uma investigação conduzida pela polícia brasileira.
João de Deus se gabou de ser abençoado com poderes de cura de uma "Entidade" divina. Ele afirmou que a entidade pode curar cegos, paraplégicos, pessoas com câncer e outras doenças.
O João de Deus não tem qualificações médicas, mas conduz procedimentos cirúrgicos cruéis e bárbaros para aqueles que procuram sua ajuda.
 
Um dos acusadores é a filha adulta de João de Deus, Dalva Teixeira, que o chamou de "monstro" e acrescentou que sob o pretexto de tratamentos místicos ele abusou dela e estuprou-a entre as idades de 10 e 14 anos. Ela disse também que seu pai parou depois que ela engravidou de um de seus empregados.

O site Senso Incomum publicou em (24/08/2010), matéria dizendo que João de Deus é acusado de ter fazenda onde mulheres era estupradas e seus bebês traficados.

 A ativista Sabrina Bittencourt disse que Faria dirigia uma operação de tráfico de bebês: crianças eram “cultivadas” antes de serem vendidas a casais sem filhos ao redor do mundo, noticiou o jornal britânico Daily Mail.
Bittencourt afirmou que meninas foram mantidas em cativeiros, chamados de “fazendas remotas“, onde eram forçadas a ter bebês. Depois de dez anos de “produção”, elas eram assassinadas: “Em troca de comida, centenas de meninas foram raptadas e escravizadas em dezenas de fazendas no estado de Goias“.
O valor de um bebê vendido por João de Deus poderia chegar até 50 mil dólares no mercado negro, relatou o Daily Mail.

Estadão aponta que João de Deus teria alguns pacientes e colegas no STF. Dias Toffoli e Luís Roberto Barroso já foram pedir seus conselhos. Luiz Fux tinha algum contato. Em agosto de 2018, a ministra Rosa Weber o convidou para a sua posse como presidente do TSE.
Depois de ser preso, a defesa do curandeiro recorreu ao STF para conseguir um habeas corpus.
A tentativa dos advogados era a de que Faria respondesse em prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica e pagamento de fiança.
Em março de 2019, o processo do médium foi parar nas mãos de dois ministros do STF, Gilmar Mendes e Luiz Fux, que alegaram “foro íntimo” para não julgarem o caso. Somente em agosto do mesmo ano, o juiz Ricardo Lewandowski julgou o processo e disse que seria necessário manter “a prisão preventiva para garantir a ordem pública”.
 
Para finalizar o médium reclamou por que não investigaram algumas boates do Distrito Federal, pois tivemos vários encontros e arrumações para Deputados, Senadores, e Ministros do STF  encontrarem – se com mulheres em lugares secretos.

"O jornalista e apresentador Pedro Bial , Luiz Petry , e toda direção da TV Globo, organizavam sempre encontros com o doleiro Dario Messer e estavam sempre lá na casa Dom Inácio de Loyola , fazendo transações em Abadiânia, realizaram repasses de dólares em espécie para a família Marinho, proprietários  do Grupo Globo, em diferentes ocasiões, desde o início de 2014; “Presenciei a família Marinho e esses Ministros do STF recebendo dinheiro próximo de mim”", conclui o médium João de Deus, conforme publicado no blog 
RVChudo.


Conforme noticiado pelo Senso, João de Deus foi solto em março deste ano pela juíza Rosângela Rodrigues dos Santos, da Comarca de Abadiânia.
A juíza tomou a decisão alegando que o réu faz parte do grupo de risco que pode ser prejudicado por conta do coronavírus.
O médium atualmente está em casa com uma série de restrições legais: não pode ir à Casa Dom Inácio de Loyola, é impedido de ter contato com vítimas e testemunhas dos processos de crimes sexuais, não pode sair de Anápolis, a 55 km de Goiânia, e deve comparecer ao Judiciário todo mês.

 
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.1%
9.9%