05/08/2022 às 19h51min - Atualizada em 05/08/2022 às 19h51min

GRAVE: China agora está ameaçando o JAPÃO com mísseis, o que pode significar uma reação dos EUA

"Esta é uma questão grave que diz respeito à segurança nacional de nosso país e à segurança das pessoas", disse Kishi, acrescentando que Tóquio já apresentou um protesto diplomático formal ao governo chinês.

Luiz Custodio
rt.com
Imagens de vídeo executadas pela CCTV da China mostram um projétil sendo lançado de um local não especificado na China, 4 de agosto de 2022 © AP / CCTV

Na esteira da visita altamente controversa de Nancy Pelosi a Taiwan, a China comunista decidiu lançar cinco mísseis balísticos diretamente na zona econômica exclusiva do Japão, de acordo com o ministro da Defesa japonês, Nobuo Kishi.

Depois de cancelar uma reunião diplomática de alto nível com o Japão, o Partido Comunista Chinês (PCC) teria explodido as armas em águas perto de Taiwan, provocando o Ocidente a potencialmente responder com uma reação. 

"Esta é uma questão grave que diz respeito à segurança nacional de nosso país e à segurança das pessoas", disse Kishi, acrescentando que Tóquio já apresentou um protesto diplomático formal ao governo chinês.

Acontece que esta é a primeira vez que um míssil balístico chinês aterrissou em águas japonesas – um movimento histórico para um momento como este em que, ousamos dizer, a Terceira Guerra Mundial está emergindo do horizonte.

A China, juntamente com várias outras nações, não está de acordo com o Japão quanto à extensão de sua zona econômica exclusiva. A ilha japonesa de Yonaguni fica a cerca de 67 milhas a leste de Taiwan, e a nação também reivindica soberania sobre outro pedaço de ilhas desabitadas a nordeste de Taiwan.

É essa segunda área que tecnicamente se sobrepõe à própria zona econômica exclusiva da China, pois está localizada na região do Mar da China Oriental.

Essa disputa turva um pouco as águas, pois a China considera a zona de explosão como sua, enquanto o Japão diz que é dono da área. A manifestação, diz a China, pretendia mostrar ao mundo que é capaz de bloquear totalmente Taiwan – se quisesse – que também considera sua.


Taiwan diz que ativou “sistemas de defesa relevantes” para afastar a China

Os exercícios militares em larga escala da China começaram apenas dois dias antes de Pelosi aparecer em Taiwan, que acaba de anunciar que ativou “sistemas de defesa relevantes” em resposta às ações da China.

Pequim expressou indignação com a visita de Pelosi, chamando-a de um endosso quase oficial da independência de Taiwan – uma posição que, oficialmente falando, não é endossada pelo governo dos Estados Unidos.

Pelosi aparentemente agiu por vontade própria, provavelmente porque ela queria verificar algumas de suas posições de insider trading com empresas de chips que operam em Taiwan.

O governo de Taiwan teria lançado seus próprios exercícios militares após os exercícios da China, enquanto o Japão assinou uma declaração de condenação contra a China e seus militares.

“Não há justificativa para usar uma visita como pretexto para atividade militar agressiva no Estreito de Taiwan”, diz o comunicado de Tóquio, acrescentando que a “resposta escalada da China corre o risco de aumentar as tensões e desestabilizar a região”.

Comentaristas japoneses acreditam que os exercícios da China foram uma ameaça não apenas para Taiwan, mas também para o Japão, considerando sua localização estratégica e postura geral pró-ocidente.

A resposta de Pequim à condenação do Japão de seus exercícios militares foi cancelar uma reunião planejada entre os dois países na cúpula da ASEAN em andamento no Camboja.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, expressou forte descontentamento com o que descreveu como "comentários irresponsáveis" do Japão.

“É engraçado que a zona econômica exclusiva também se sobreponha à zona econômica da China, onde os mísseis caíram”, escreveu um comentarista no RT . “Retórica dos EUA através dos líderes kamikaze novamente.”

“Eles não estão realmente batendo em ninguém, então quem se importa?” escreveu outro sobre os mísseis chineses. “A China faz o que quer. Vocês todos gostam de atirar mísseis. Vá atirar neles. Só não bata em ninguém. O único em quem não confio é a OTAN em qualquer lugar perto da Rússia.”

Muitos outros escreveram que, se o Japão for inteligente, ficará de fora.

 

Compartilhe esta notícia, muitos precisam depertar para a realidade.
 

E mais...

Mulheres absorvem e retêm DNA de todos os homens com quem fazem sexo
FEMA adverte EUA a se prepararem para 10 anos sem rede elétrica após 'tempestade solar perfeita'
MÉDICA RENOMADA AVISA: 'Cânceres incomuns estão se espalhando rapidamente entre indivíduos espetados'
ESTRANHO: 3 médicos do mesmo hospital 'morrem de repente' dias após a quarta vacina contra o Covid ser obrigatória
População vacinada é responsável por 92% das mortes por COVID-19 no Canadá


Considere apoiar o Tribuna Nacional - Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 

GETTR


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.