05/08/2022 às 11h20min - Atualizada em 05/08/2022 às 11h20min

ANTIGLOBALISMO: Revolta histórica iminente no Reino Unido contra a 'Nova Ordem Mundial'

O governo do Reino Unido está se preparando para “agitação civil generalizada” envolvendo milhões de moradores protestando contra a 'Nova Ordem Mundial', alertou a polícia

Luiz Custodio
Summit.news
Com o aumento dos preços da energia e uma população mais pobre como resultado dos bloqueios, muitos britânicos resolveram se recusar a pagar suas contas como parte do descumprimento em massa com a elite, que alguns estão comparando aos distúrbios do poll tax[Poll Tax foi o imposto proporcional instituído pelo governo de Margaret Thatcher em 1989 na Escócia, e em 1990 no restante do Reino Unido, o qual custearia os governos locais por meio de uma taxa única a ser cobrada por habitante, independentemente da sua renda ou capacidade econômica].

Reportagens do Summit.news: Londres foi atingida por violentos motins em 1990 em resposta aos esforços do governo para introduzir o poll tax, e o novo imposto acabou sendo descartado depois que uma coalizão de grupos de interesse entre a classe trabalhadora e a classe média se uniu para derrotá-lo.

Um movimento semelhante sob a égide da organização Don't Pay[NÃO PAGUE] agora está pedindo às pessoas que cancelem seus débitos diretos em outubro se os preços da energia continuarem subindo.

 

Espera-se que as contas médias de energia no Reino Unido para combustível duplo subam para £ 3.615 até janeiro de 2023, um aumento de 283% em relação aos níveis de março.

“Milhões de nós não poderão pagar comida e contas neste inverno”, afirma o manifesto Não Pague. “Não podemos permitir que isso aconteça. Exigimos uma redução das contas a um nível acessível. Cancelaremos nossos débitos diretos a partir de 1º de outubro se formos ignorados.”

No entanto, outros alertaram que uma recusa em massa de pagar contas só resultará em preços ainda mais altos porque mais empresas deixarão o mercado, permitindo que menos corporações criem monopólios de preços.

A inflação também deve atingir 15% no próximo ano, à medida que o turbilhão de bloqueios economicamente devastadores e o apoio da Europa à “coisa atual” – prolongar a guerra na Ucrânia – atinge fortemente as pessoas.

Enquanto isso, a gigante de energia BP acaba de anunciar seu maior lucro trimestral em 14 anos.

O ativista Tom Scott disse que não está pedindo tumultos, mas que é quase certo que eles aconteçam se as coisas não mudarem.

“Houve um grande tumulto em Londres [em 1990]”, disse Scott ao Telegraph. “Isso não é algo que eu gostaria de ver, mas acho que é quase inevitável que, a menos que o governo tome medidas muito mais eficazes para ajudar as pessoas, haverá uma agitação civil generalizada”.

Uma nova pesquisa também descobriu que uma pequena maioria dos britânicos – 51 por cento – acha que haverá tumultos pelo custo de vida ainda este ano.

Enquanto isso, o governo do Reino Unido continua dando tratamento de tapete vermelho, acomodação gratuita, comida e dinheiro para registrar o número de imigrantes ilegais com iPhones que chegam em barcos da França.

 

Compartilhe esta notícia, muitos precisam depertar para a realidade, continuar negando os fatos será um caminho sem volta.
 

E mais...

FATO: Mortes de atletas são 1.700% maiores desde 2021 e ninguém pode perguntar por quê
SUPERTEMPESTADE SOLAR: FEMA adverte EUA a se prepararem para 10 anos sem rede elétrica após 'tempestade solar perfeita'
MÉDICA RENOMADA AVISA: 'Cânceres incomuns estão se espalhando rapidamente entre indivíduos espetados'
ESTRANHO: 3 médicos do mesmo hospital 'morrem de repente' dias após a quarta vacina contra o Covid ser obrigatória

 


Considere apoiar o Tribuna Nacional - Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 

GETTR


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.