18/06/2022 às 13h51min - Atualizada em 18/06/2022 às 13h51min

BLOQUEIOS causaram pelo menos 170.000 mortes a mais nos EUA

Outro novo estudo descobriu que os bloqueios restritivos contribuíram para um grande aumento no excesso de mortes, com um salto de 26% na taxa de mortalidade para adultos em idade ativa nos EUA.

Luiz Custodio
Summit News
Conduzido pelo  National Bureau of Economic Research  (NBER), o estudo concluiu que houve pelo menos 170.000 mortes em excesso não-Covid nos Estados Unidos até 2020 e 2021.

Relatórios do Summit News : O estudo observa que o número real provavelmente está mais próximo de 200.000, porque mais de 70.000 das chamadas “mortes por Covid não medidas”, ou seja, pessoas que podem ter morrido apenas com o vírus e não com ele, não foram levadas em consideração.

Os pesquisadores escreveram que “Somando nossas estimativas por causas e faixas etárias, estimamos 171.000 mortes não-Covid em excesso até o final de 2021, mais 72.000 mortes não medidas por Covid. A The Economist reuniu dados de mortalidade em nível nacional de todo o mundo e obteve uma estimativa semelhante nos EUA, que é de 199.000 (incluindo qualquer Covid não medida) ou cerca de 60 pessoas por 100.000 habitantes (Global Change Data Lab 2022).”

 

Eles acrescentaram que “embora as mortes por Covid afetem predominantemente os idosos, os números absolutos de mortes em excesso não-Covid são semelhantes para cada uma das faixas etárias de 18 a 44, 45 a 64 e mais de 65 anos, essencialmente sem excesso agregado de mortes de crianças. A mortalidade por todas as causas durante a pandemia foi elevada em 26% para adultos em idade ativa (18-64), em comparação com 18% para os idosos”.

O nível de excesso de mortes se encaixa com as descobertas de outros estudos em todo o mundo que descobriram que todos os lugares fechados experimentaram um aumento semelhante nas taxas de mortalidade.

Os pesquisadores do NBER afirmam que “para a União Europeia como um todo, a estimativa é quase idêntica em 64 mortes em excesso não-Covid por 100 mil”.

Eles também apontam que “em contraste, a estimativa para a Suécia é de -33, o que significa que as causas de morte não-Covid foram um pouco baixas durante a pandemia”.

“Suspeitamos que algumas das diferenças internacionais se devam ao padrão usado para designar uma morte como Covid, mas talvez também o resultado da Suécia esteja relacionado à minimização da interrupção do estilo de vida normal de seus cidadãos”, acrescentam os pesquisadores.

 



Angelina Jolie admite ter 'rituais de sangue horríveis dos Illuminati'
As pessoas não têm 'o direito absoluto de possuir propriedade privada', diz procurador-geral canadense
Lembra quando o adrenocromo era uma “teoria da conspiração”? Agora é conspiração FATO na forma de “transplantes de jovens”
California House aprova lei de “infanticídio” que legaliza o assassinato de bebês recém-nascidos 7 dias ou mais após o nascimento
Vídeo microscópico de bioestruturas projetadas removidas de vasos sanguíneos

 


Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 

ESTAMOS NO GETTR


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.