17/06/2022 às 10h23min - Atualizada em 17/06/2022 às 10h23min

Estudo: COVID-19 grave raramente é encontrado em não vacinados – apagão da mídia

Um estudo oficial concluiu que as pessoas que não receberam um jab COVID-19 tiveram uma taxa menor de sofrer um caso grave do vírus durante a pandemia.

Luiz Custodio
Thenationalpulse
O estudo, que foi carregado no servidor de pré-impressão ResearchGate, contou com dados de mais de 18.500 entrevistados em 175 países. Os cientistas descobriram que os indivíduos não vacinados contra o COVID-19 relataram menos casos de hospitalização em comparação com os vacinados.

Thenationalpulse.com relata: MSN – um site de notícias lançado pela Microsoft, entusiasta de vacinas, Bill Gates, em 1995 – cobriu o estudo, intitulando seu artigo “ Severe COVID-19 'Rare' In Unvaccinated People ”, mas parece ter retirado a história desde sua publicação. No entanto, as versões arquivadas do artigo ainda estão  disponíveis.

A pesquisa – “ Resultados auto-relatados, escolhas e discriminação entre uma coorte global não vacinada com COVID-19 ” – foi realizada de setembro de 2021 a fevereiro de 2022. Os dados coletados para a pesquisa foram analisados ​​por uma equipe internacional independente de cientistas liderada por Robert Verkerk , Ph.D., fundador e diretor executivo e científico da Alliance for Natural Health International.

 

“É importante reconhecer que, como a coorte representa uma amostra auto-selecionada, em oposição à selecionada aleatoriamente, os resultados não podem ser comparados diretamente com outros estudos observacionais baseados em dados autorrelatados com base em indivíduos selecionados aleatoriamente”, enfatizou o estudo. .

Muitos dos indivíduos não vacinados incluídos na análise optaram por tratamentos naturais, como vitamina D, zinco, quercetina e medicamentos como ivermectina e hidroxicloroquina.

O estudo também descobriu que as pessoas não vacinadas contra o COVID-19 enfrentaram discriminação por suas decisões, com entre 20 a 60% das pessoas por país relatando serem alvos pessoais de “ódio ou vitimização”.

“Os entrevistados relataram sentir-se ainda mais vitimizados por seus respectivos estados, com taxas entre os entrevistados sendo maiores no sul da Europa (61%), Europa Ocidental (59%), Austrália e Nova Zelândia (57%) e América do Sul (57%)” explicou o papel.

A pesquisa segue estudos adicionais que chegam a conclusões semelhantes sobre a eficácia da vacina COVID-19. Um relatório do Instituto Koch avaliando dados do governo alemão, por exemplo, descobriu que 80% dos casos da variante Omicron ocorreram em pessoas totalmente vacinadas no país.



Vídeo microscópico de bioestruturas projetadas removidas de vasos sanguíneos

Canadá de Trudeau começará a pagar pessoas pobres para serem sacrificadas
TERROR: Confirmada as descobertas dos cientistas sobre o 'Hydra o nano-polvo' encontrado na vax da Pfizer

Alemanha admite 'vacina' Covid 40 vezes mais mortal do que se sabia
'Substância química misteriosa' na atmosfera da Terra está causando aumento repentino de problemas cardíacos, afirmam cientistas
Crianças australianas estão morrendo após a injeção de Covid

 


 

Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 

ESTAMOS NO GETTR


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.