05/08/2020 às 20h03min - Atualizada em 05/08/2020 às 20h03min

Gilmar Mendes e Lewandowski anulam delação de Palocci contra Lula

Vinicius Mariano
Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes (Reprodução)
A segunda turma do STF anulou, nesta terça-feira (3), a delação premiada do ex-ministro da fazenda, Antônio Palocci, contra o ex-presidente Lula. Nesta delação, Palocci revelou que o ex-presidente recebeu propinas da Odebrecht em troca de vantagens à empreiteira e que roubou a propina do próprio partido.

A segunda turma é composta pelos ministros Luis Edson Fachin, Cármen Lúcia, Celso de Mello, Ricardo Lewandowiski e Gilmar Mendes. Ricardo Lewandowiski e Gilmar Mendes votaram pela anulação da delação e Fachin foi voto vencido. Cármen Lúcia e Celso de Mello não participaram da sessão.

A defesa de Lula, condenado em dois processos na Lava Jato, afirmou que a inclusão do documento que lista as acusações de Palocci na delação e a retirada do sigilo poucos dias antes das eleições de 2018 representou quebra de imparcialidade de Sergio Moro, que determinou as medidas.

No entanto, em decisão monocrática, Fachin já havia negado o pedido da defesa de Lula, que argumentou que Sérgio Moro, juiz do caso, foi imparcial, já que a delação de Palocci foi inserida no processo durante o período eleitoral. 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.2%
9.8%