18/02/2022 às 14h09min - Atualizada em 18/02/2022 às 14h09min

Homicídio Involuntário por Vacinação Covid-19?

Em uma conferência privada realizada com o advogado Reiner Fuellmich, foi determinado que a indústria farmacêutica está tentando camuflar os dados sobre o número de mortes e lesões por vacinas Covid.

Cristina Barroso
Daily Exposè
(Reprodução)
Um experimento está sendo realizado em pessoas, sem o seu conhecimento, ou seja, em violação do consentimento informado voluntário. E esta experiência foi premeditada. Foi demonstrado que nem todos os frascos de vacina contêm a mesma coisa, além disso, eles não devem ser chamados de vacinas. 

Alguns dados de pessoas falecidas são registados no portal VAERS, no entanto fala-se que pode haver um sub-registo.

Alguns lotes de vacina são placebo, não fazem mal, porém, há outros em que as pessoas morrem, a toxicidade dos lotes depende disso.

Existem muitas vacinas que podem causar 500, outras 1.500, 2.000 ou 3.000 mortes, algumas são mais letais que outras.

Alguns médicos ignoram essa informação, mas outros são cúmplices.

Uma investigação de dados encontrados no Vaccine Adverse Event Reporting System (VAERS) dos EUA revelou que números extremamente altos de reações adversas e mortes foram relatados contra números de lote específicos das vacinas Covid-19 várias vezes, o que significa lotes mortais das injeções experimentais agora foram identificados.

Mas o que talvez seja mais preocupante é que os lotes “mortais” foram distribuídos amplamente pelos Estados Unidos, enquanto outros lotes “benignos” foram enviados para apenas alguns locais.

Os dados usados ​​na investigação foram extraídos do banco de dados VAERS acessível ao público, que pode ser visto aqui . O Vaccine Adverse Event Reporting System ( VAERS ) é um programa dos Estados Unidos para segurança de vacinas, co-gerenciado pelos Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e a Food and Drug Administration (FDA).

O programa coleta informações por meio de relatórios feitos por médicos, enfermeiros e pacientes sobre eventos adversos (possíveis efeitos colaterais prejudiciais) que ocorrem após a administração de vacinas para verificar se a relação risco-benefício é alta o suficiente para justificar o uso contínuo de qualquer vacina específica.

Os relatórios retirados do banco de dados foram aqueles que foram enviados até 15 de outubro de 2021 e incluíram todas as reações adversas relatadas contra as injeções de mRNA Covid-19 da Pfizer e Moderna, bem como todas as reações adversas relatadas contra as vacinas contra influenza; que foram usados ​​para gerar um conjunto de dados de control
dataset.

Veja matéria completa AQUI


VÍDEO
 
Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 

ESTAMOS NO GETTR  




 

Jornal Tribuna Nacional Publicidade 790x90


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.