03/08/2020 às 10h49min - Atualizada em 03/08/2020 às 10h49min

Ex-secretário de Bill Clinton sugere que Biden não debata com Trump

Sob sua perspectiva, o atual presidente ''não segue as regras''

Kaio Lopes
FOX NEWS
PODER 360 (REPRODUÇÃO)
O ex-secretário de Imprensa da Casa Branca, que atuou no governo de Bill Clinton entre 1998 e 2000, Joe Lockhart, sugeriu, através de um artigo pessoal, na semana passada, que o presidenciável democrata, Joe Biden, não se proponha a debater com Donald Trump, porque, segundo ele, o atual presidente fez ''milhares de afirmações enganosas'', como se as mesmas não pudessem ser constatadas à vista grossa da imprensa. A publicação, logicamente, está hospedada na CNN. 

''Faça o que fizer, não discuta com Trump. Ele fez mais de 20.000 declarações enganosas ou falsas, de acordo com o Washington Post. É uma tarefa tola entrar no ringue com alguém que não pode seguir as regras ou a verdade. Biden, sem dúvidas, terá calor dos republicanos e da mídia por pular os debates. Mas vale a pena arriscar, pois tentar debater com alguém incapaz de dizer a verdade é um concurso impossível de vencer'', afirmou Lockhart. 

O senador do Texas, cubano-americano, Ted Cruz, se manifestou via Twitter. Ele ironizou o artigo ao descrevê-lo como ''Estratégia do Porão - parte 2''.
 

Imediamente após a polêmica, os partidários atrelados à Trump questionaram a saúde de Biden, além, é claro, de trazer a tona uma série de fatos, incluindo a situação do pleito eleitoral de 2016, oportunidade na qual Hillary Clinton foi derrotada pelo atual chefe de Estado de forma contundente nos debates. 

As questionáveis pesquisas para a intenção de votos dos americanos, até então, dão margem vantajosa ao democrata. Às vésperas da eleição, há 4 anos, as mesmas indicavam Trump derrotado facilmente assim que começasse a computação dos dados. Resultado: o republicano venceu e os democratas esperaram à toa pela derrotada Hillary na estrutura milionária montada pela sua campanha.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.0%
10.0%