24/01/2022 às 16h32min - Atualizada em 24/01/2022 às 16h32min

Vitória: Tribunal italiano anula a política mortal do governo contra a Covid (Vídeo)

“Eles impediram que as pessoas fossem curadas pelo médico de família em casa, com tratamento precoce.”

Luiz Custodio
rairfoundation.com

O Tribunal Administrativo Regional da Itália decidiu que sua política de “Paracetamol [Tylenol] e espera vigilante” viola os direitos dos pacientes de receber tratamento médico significativo. Como resultado, os médicos não precisam mais seguir as diretrizes rigorosas e perigosas dos Ministros da Saúde e tratar os pacientes da maneira que acharem melhor.

A advogada e política Andrea Delmastro do partido conservador Fratelli d'Italia (Irmãos da Itália) comemorou a decisão do tribunal e condenou Roberto Speranza, a controversa prescrição Covid do Ministro da Saúde.

VEJA TAMBÉM: 
Morre Domenico Biscardi. Mais um cientista que investigava o grafeno e outras substâncias contidas nas vacinas Covid tem morte suspeita

Você se lembra da receita incômoda do Ministro da Saúde Speranza? Mesmo um garoto de 14 anos teria entendido que havia algo suspeito naquela receita. Algo anômalo. Os médicos não deveriam curar pacientes com Covid com medicamentos, mas apenas prescrever paracetamol e espera vigilante. Esperando pelo quê? Esperar o paciente ser internado, ou pior, ser transferido para a unidade de terapia intensiva?

Até agora, a resposta padrão da Itália a um paciente com sintomas de Covid é dizer, com efeito, “tome dois Tylenol e espere que você viva”. Os médicos enviam pacientes infectados por Covid para casa e, se ficarem tão doentes que sua vida esteja em perigo, eles os internarão na UTI. O paciente provavelmente teria um ventilador mecânico enfiado na traqueia e essencialmente esperaria para morrer. Os hospitais poderiam então coletar seu dinheiro federal Covid pago por outra morte Covid.

Tratamentos que salvam vidas negados

Delmastro condenou o ministro da Saúde por não permitir que médicos tratassem pacientes de Covid como bem entendessem. O estado não apenas ditava como os médicos deveriam tratar seus pacientes, mas negava aos italianos tratamentos precoces que salvavam vidas,

Eles anularam as obrigações éticas dos médicos de clínica geral. Quem, fiel ao juramento de Hipócrates, deve curar uma doença, não torná-la crônica. Sua experiência profissional estava sendo refutada. Impediram que as pessoas fossem curadas pelo médico de família em casa com tratamento precoce.

Como na maioria dos países, quaisquer medidas de combate à Covid que não sejam a “vacinação” estão sendo sistematicamente suprimidas. Ivermectina, hidroxicloroquina, anticorpos monoclonais, quercetina, NAC, zinco, vitaminas D3 e C estão sendo condenados, ridicularizados e banidos pelo estado. Médicos que prescrevem ivermectina ou tratamentos alternativos são demitidos, considerados clinicamente e psicologicamente inaptos ou perseguidos.

Ministro da Saúde deve renunciar

“Agora que a última pedra angular da estratégia insana e malsucedida de Speranza para enfrentar a pandemia foi desmascarada”, disse Delmastro, “Speranza não tem alternativa a não ser renunciar imediatamente”. Mas, continuou o membro do Fratelli d'Italia, “a renúncia imediata não reabilitará sua dignidade. Mas fará justiça a todos os italianos que foram impedidos de se curar com medicamentos para combater a doença'.

Assista ao poderoso vídeo de Andrea Delmastro, que a RAIR Foundation USA traduziu:

 

 

Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 


ESTAMOS NO GETTR



Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.