30/07/2020 às 15h18min - Atualizada em 30/07/2020 às 15h18min

Antes de apelar ao público gay, Natura tinha prejuízo de R$ 820 milhões

Entenda a situação

Kaio Lopes
Da Redação
(REPRODUÇÃO)
A Natura, marca de referência no setor de comésticos, está na crista da onda. Após anunciar uma ação publicitária para o Dia dos Pais em parceria com a atriz Thammy Miranda (comumente chamada Thammy Gretchen), que tem passado por um processo de mudança de sexo, o nome da empresa foi envolvido em meio aos posicionamentos contrários entre aqueles que acreditam ser esta uma forma de inclusão e outros incrédulos pela escolha de uma pessoa tida como mulher biologicamente. O fato é que a campanha, mesmo antes de ir ao ar, já está repercurtindo e, consequentemente, deverá trazer lucros para seus responsáveis. Nesse aspecto, portanto, foi um golpe de mestre.

Mas como nem tudo são flores, especialmente quando emanam do jardim interesses financeiros, temos de analisar o cenário antecessor ao atual: a Valor Investe, especialista em fatos e notícias sobre as finanças das empresas, divulgou, em matéria datada de 08 de Maio de 2020, que o prejuízo da marca Natura, somente no primeiro trimeste do ano, foi 10 vezes superior em relação ao mesmo período de 2019, totalizando uma perda estimada em R$ 820 milhões, especialmente em virtude da fase pandêmica gerada pelo coronavírus. 

Na mesma reportagem, o presidente da varejista, Roberto Marques, divulgou que haveria um reforço financeiro para o caixa da companhia estimado entre R$ 1 e 2 bilhões, aporte este com o intuito de solidificar a marca em meio à crise. Coincidência ou não, agora a empresa lança a bomba e só aguarda a explosão. 

De um ponto de vista técnico e propagantício, foi um acerto; partindo de um pressuposto narrativo, nem tanto. É compreensível a necessidade constante de manter um alinhamento entre uma grande marca e a ordem financeira do negócio a ser fechado, principalmente quando estão inclusos direcionamentos para públicos facilmente manipuláveis e suscetíveis como o GLS. Na mesma medida, é natural também que haja uma desconfiança sobre o propósito da causa e sua ambição conseguinte. 

A naturalidade que originou a razão social da marca, hei de destacá-los, deu lugar ao supérfluo substitutivo do 'modus operandi' gayzista. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »