14/01/2022 às 09h38min - Atualizada em 14/01/2022 às 09h38min

"NÓS FALHAMOS": jornal dinamarquês pede DESCULPAS por publicar narrativas oficiais do COVID sem questioná-las

O estado de alerta mental constante esgotou-se tremendamente em todos nós. É por isso que nós - a imprensa - devemos também fazer um balanço dos nossos próprios esforços. E nós falhamos.

Cristina Barroso
Zero Hedge
(Reprodução)
Em agosto, o principal jornal da Alemanha, o Bild, pediu desculpas pela cobertura do Covid, motivada pelo medo, com uma mensagem especial para as crianças, que foram informadas "de que iriam matar sua avó".

Agora, um jornal na Dinamarca pediu desculpas publicamente por relatar narrativas do governo em torno da pandemia de Covid-19 sem questioná-las.

" Nós falhamos ", diz a manchete do artigo do tablóide Ekstra Bladet , que passa a admitir que "Durante QUASE dois anos, nós - a imprensa e a população - estivemos quase hipnoticamente preocupados com os números diários de coronavírus das autoridades " . ).

  Leia o restante abaixo:

OLHAMOS para as oscilações do pêndulo numérico quando se tratava de infectados, internados e falecidos com corona. E nos foi dado o significado dos menores movimentos do pêndulo apresentados por especialistas, políticos e autoridades, que constantemente nos alertam sobre o monstro corona adormecido debaixo de nossas camas. Um monstro apenas esperando que adormeçamos para que possa atacar na escuridão e na escuridão da noite.

O estado de alerta mental constante esgotou-se tremendamente em todos nós. É por isso que nós - a imprensa - devemos também fazer um balanço dos nossos próprios esforços. E nós falhamos.

NÃO fomos vigilantes o suficiente no portão do jardim quando as autoridades foram obrigadas a responder o que realmente significava que as pessoas estavam hospitalizadas com corona e não por causa da corona. Porque faz a diferença. Uma grande diferença. Exatamente, os números oficiais de hospitalização mostraram ser 27% maiores do que o número real de quantos há no hospital, simplesmente porque eles têm corona. Só sabemos disso agora.

É CLARO que são, antes de tudo, as autoridades responsáveis ​​por informar a população de forma correta, precisa e honesta. Os números de quantos estão doentes e morreram de corona devem, por razões óbvias, ter sido publicados há muito tempo, então temos a imagem mais clara do monstro debaixo da cama.

EM TODAS , as mensagens das autoridades e dos políticos ao povo nesta crise histórica deixam muito a desejar. E, portanto, eles mentem como montaram quando partes da população perdem a confiança neles.

OUTRO exemplo: As vacinas são constantemente referidas como nossa 'super arma'. E nossos hospitais são chamados de 'super-hospitais'. No entanto, esses super-hospitais são aparentemente pressionados ao máximo, embora quase toda a população esteja armada com uma super arma. Até as crianças foram vacinadas em grande escala, o que não foi feito em nossos países vizinhos.

EM OUTRAS PALAVRAS, há algo aqui que não merece o termo 'super'. Sejam as vacinas, os hospitais ou uma mistura de tudo isso, é o lance de cada homem. Mas pelo menos a comunicação das autoridades à população não merece de forma alguma o termo 'super'. Pelo contrário.

* * *
Outros meios de comunicação terão a integridade jornalística para seguir o exemplo? 
Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 

ESTAMOS NO GETTR  


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »