10/01/2022 às 10h57min - Atualizada em 10/01/2022 às 10h57min

França - Multidões vão para as ruas jurando 'mijar': fora Macron!

As autoridades dizem que pelo menos 100 mil pessoas foram às ruas da França no sábado, depois que o presidente Macron prometeu “irritar” os não feridos e restringir ainda mais seus direitos .

Luiz Custodio
RT.COM
No início desta semana, Macron disse que planejava coagir os não vacinados a aceitar os jabs, tornando suas vidas cada vez mais difíceis.

 

Os protestos aos sábados foram quatro vezes maiores do que no dia 18 de dezembro, de acordo com estimativas da polícia.
 

Relatórios da RT : Os manifestantes se opuseram, entre outras coisas, a um plano governamental quase implementado para tornar a prova de vacinação contra a Covid-19 obrigatória para usar o transporte público, comer em restaurantes e participar de eventos.

VEJA TAMBÉM: O presidente Macron diz que planeja 'irritar' os não-injetados para serem convencidos
 

A Assembleia Nacional da França aprovou um projeto de lei esta semana que, se aprovado pelo Senado, introduziria os chamados 'passes de vacina' para substituir os 'passes de saúde' existentes. De acordo com as regras atuais, um PCR ou teste de antígeno negativo dá acesso a um passe válido por 24 horas. 

Um passe de vacina, no entanto, só seria emitido para aqueles que foram totalmente vacinados. As pessoas infectadas com Covid-19 teriam que receber uma injeção de reforço três a quatro meses após contrair o vírus para obter a aprovação da vacina, disse o ministro da Saúde, Olivier Veran. Nesse ínterim, eles podem usar seus certificados de recuperação.

 

A multidão em Paris somou pelo menos 18.000, de acordo com estimativas oficiais, com os manifestantes ouvidos gritando "Vamos irritá-lo!" em referência aos comentários controversos de Macron.
 

Dez manifestantes foram presos e três policiais ficaram feridos em confrontos na capital. Pelo menos mais duas dúzias de pessoas foram detidas em vários protestos em outras cidades francesas.

Durante uma entrevista ao Le Parisien na terça-feira, Macron disse: “Não pretendo irritar o povo francês. Mas quanto aos não vacinados, eu realmente quero irritá-los. ”
 

https://twitter.com/f_philippot/status/1479907718127312897
 

Macron revelou que continuar a “irritar” os franceses não vacinados “até o fim” é sua “estratégia” e se gabou de que apenas uma “pequena minoria” estava resistindo às restrições do governo.
 

“Como podemos reduzir essa minoria? Nós o reduzimos - desculpe a expressão - irritando-os ainda mais ”, disse o presidente francês, explicando que o plano inclui “ pressionar os não vacinados, limitando, tanto quanto possível, seu acesso às atividades da vida social ”.


 

Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 


ESTAMOS NO GETTR



Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »