28/12/2021 às 08h58min - Atualizada em 28/12/2021 às 08h58min

Boeing e Airbus alertam o governo dos EUA sobre preocupações de segurança do 5G

Chefes das duas maiores fabricantes de aviões do mundo, Boeing e Airbus, estão pedindo ao governo dos Estados Unidos que adie o lançamento de novos serviços de telefonia 5G.

Luiz Custodio
rt.com

Os principais executivos da Boeing e da Airbus renovaram seus avisos de que os sinais de telefones celulares 5G, programados para serem lançados pelas gigantes das telecomunicações americanas AT&T e Verizon no início de janeiro, podem ameaçar a capacidade das aeronaves de operar com segurança.

Eles também alertam que a tecnologia pode ter “um enorme impacto negativo na indústria da aviação”.

Relatórios RT : Os CEOs de ambos os fabricantes de aviões alertaram o secretário de transportes dos EUA, Pete Buttigieg, que tentar usar os rádio altímetros de seus aviões - dispositivos que permitem aos pilotos pousar em baixa visibilidade e dependem apenas de sinais de rádio para medir a altitude - se tornaria perigoso, senão impossível caso a ativação planejada do 5G em mais de 40 dos aeroportos mais movimentados do país possa prosseguir conforme programado em janeiro.

O CEO da Boeing, Dave Calhoun, e o CEO da Airbus Americas, Jeffrey Knittel, imploraram à administração Biden nesta semana para atrasar o lançamento do 5G no espectro da Banda C, citando um potencial “enorme impacto negativo na indústria de aviação”. 

A Administração Federal de Aviação disse anteriormente às companhias aéreas que uma possível interferência com altímetros de rádio de transmissores de células da banda C exigiria que a agência proibisse os pilotos de confiar nos instrumentos para rastrear a altitude perto de certos aeroportos. Estima-se que as restrições podem causar atrasos, cancelamentos ou desvios em até 4% dos voos dos EUA

Forçar as companhias aéreas a pousar de fato os aviões em outro lugar poderia não apenas incomodar os passageiros, pilotos e funcionários, mas também poderia representar questões legais caso o local alternativo estivesse situado em outro país ou estado com leis diferentes.

A Federal Communications Commission argumentou que não há problema real com os altímetros de rádio, e a AT&T e a Verizon, principais fornecedores de sinais 5G, se comprometeram a reduzir ou limitar a força de suas redes. Ambas as empresas anunciaram na quarta-feira em uma carta ao presidente da FCC, Jessica Rosenworcel, que iriam introduzir “limites” em suas redes para o primeiro semestre do ano “enquanto evidências adicionais de fabricantes de altímetro de rádio são avaliadas. ”Os provedores pareciam ter descartado as preocupações de que o problema pudesse afetar as viagens aéreas, no entanto, argumentando que “ não havia nenhuma evidência confiável de que existe um problema de interferência legítimo ”.

As empresas acrescentaram que suas ações não impactariam de forma perceptível os serviços 5G fornecidos aos clientes e reclamaram que já haviam investido US $ 80 bilhões na aquisição de largura de banda para 5G, que inicialmente deveria ser implantado em novembro. Atrasos posteriores foram meros “fomentadores de medo” , lamentaram.

 

Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 


ESTAMOS NO GETTR



Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.