11/12/2021 às 10h02min - Atualizada em 11/12/2021 às 10h02min

Áustria começará a remessa dos não vacinados para as prisões

As pessoas na Áustria que se recusarem a receber a vacinação serão enviadas para a prisão e trancadas por pelo menos um ano, de acordo com uma nova lei difícil que está sendo implementada.

Luiz Custodio
Summit.news

Susanne Fürst, do Partido da Liberdade Austríaco (FPÖ), que votou contra a lei, advertiu que uma nova proposta de emenda poderia ser usada para punir os não feridos com penas de prisão severas.

Os austríacos que não forem vacinados até fevereiro enfrentam multas de até € 7.200 (US $ 8.000) pelo não cumprimento, e aqueles que são muito pobres ou que se recusam a desembolsar o dinheiro podem ser presos e mandados para a prisão por 12 meses.

A nova lei também ordena que os presos paguem por sua própria prisão.

 

“Se a detenção for efetuada em juízo, as custas associadas serão recuperadas pelos tribunais da parte obrigada de acordo com as disposições existentes para a recuperação das custas de execução das penas judiciais”, afirma a emenda.

Relatórios Summit.news : Apesar de Fürst protestar que a emenda poderia ser usada para punir ainda mais os não vacinados, a medida foi aprovada de qualquer maneira.

 

Na época em que foi anunciado, o chanceler Alexander Schallenberg jurou acertar os não vacinados com "penalidades" se eles ainda se recusassem a receber a vacina, enquanto afirmava que deveriam "sofrer".

Dado que alguns tecnocratas afirmam que o programa de vacinação nunca vai acabar, a pena inicial de um ano de prisão para os refugiados da vacina pode ser apenas o começo.

Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 




ESTAMOS NO GETTR  



Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.