26/07/2020 às 14h28min - Atualizada em 26/07/2020 às 14h28min

Embaixador da Ucrânia desmente Felipe Neto no Twitter

Youtuber acusou o país do embaixador Rostyslav Tronenko de ser administrado por neo-nazistas

Vinicius Mariano
O embaixador da Ucrânia Rostyslav Tronenko (Reprodução)
O embaixador da Ucrânia, Rostyslav Tronenko, respondeu neste sábado (25) o youtuber Felipe Neto no Twitter, que acusou o país do embaixador de ser administrado por neo-nazistas. No caso, Felipe compartilhou e tirou de contexto um tweet do jornalista Bernardo Küster, que foi censurado pelo STF, que dizia que a solução para o Brasil era "ucranizar", uma expressão que significa jogar políticos corruptos no lixo, como ucranianos fizeram com um deputado em 2014.

O embaixador Rostyslav Tronenko respondeu ao youtuber que tais afirmações eram desconexas e absurdas e que Felipe deveria estudar antes de falar de um tema tão polêmico. Além disso, o embaixador citou documentos da Freedom House, organização cujo objetivo é promover os direitos humanos e a democracia, e do jornal europeu The Economist, que mostraram que o índice de democracia na Ucrânia tem aumentado e que o fato de haver movimentos radicais no país é uma propaganda falsa da Rússia, que está em conflito com a Ucrânia desde 2014 devido à disputa do território da Crimeia.
Pelo fato de Felipe Neto ter espalhado uma notícia falsa, internautas cobraram o ministro Alexandre de Moraes de incluí-lo no inquérito das fake news, que tem perseguido apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, mas que tem feito vista grossa para pessoas ligadas a grupos de esquerda, como o youtuber Felipe Neto e jornalistas da grande mídia.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »