03/12/2021 às 15h13min - Atualizada em 03/12/2021 às 15h13min

Cingapura: Morador de rua condenado à prisão por violar a ordem de "ficar em casa"

Um tribunal de Cingapura sentenciou um homem a sete semanas de prisão na quinta-feira por violar uma ordem de "ficar em casa" da Covid-19, embora ele fosse um morador de rua.

Luiz Custodio
RT.COM

Cingapura impôs algumas das medidas mais rígidas da Covid do mundo, com centenas de pessoas presas ou multadas por violar as regras de auto-isolamento.

Relatórios da RT : Cingapura Rozman Abdul Rahman, 40, voltou da Indonésia em 20 de março de 2020. Depois que um oficial de imigração insistiu que ele assinasse um aviso de permanência em casa (SHN), ele listou a casa de sua meia-irmã como um lugar para ele ficar em quarentena - mas ele era realmente um sem-teto.

Durante o período em que deveria se isolar, ele morou na rua, dormindo em um estacionamento, e mais tarde mudou-se para um abrigo para moradores de rua. Ele também continuou trabalhando como segurança em uma empresa de logística de alimentos. Seu empresário alegou que ele não sabia que Rahman estava em um SHN.

Depois de não conseguir localizá-lo, os policiais finalmente encontraram Rahman por meio de seu empregador e o prenderam. Ele foi condenado a sete semanas de prisão na quinta-feira, após se confessar culpado no início deste ano.

“ Em meio a uma crise mundial, Rozman ficou com uma crise pessoal própria - a falta de moradia. Ele não tinha um local de residência. Ele foi deixado para se defender nas ruas ”, disse seu advogado, Azri Imran Tan, acrescentando que sua punição foi uma“ torção cruel de ironia ”.

Ele argumentou que “ deveria haver uma distinção entre aqueles que frivolamente saem e violam o SHN e aqueles que não têm escolha ”.

Enquanto sua defesa pedia uma curta detenção e multa, os promotores acusaram Rahman de expor deliberadamente outras pessoas ao risco do Covid-19, algo que poderia tê-lo levado à prisão por até seis meses.

O promotor público adjunto Lai Yan classificou a violação das regras por 13 dias como " quase sem precedentes ". Rahman deve apelar da decisão.
 

Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 



Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.