17/11/2021 às 21h39min - Atualizada em 17/11/2021 às 21h39min

ALERTA: Aí vêm as marcas de tatuagem - cientistas querem carimbar as crianças com tinta invisível para provar que foram vacinadas

Com duração de até cinco anos, esse corante é detectado por meio de luz infravermelha, que incide sobre a pele na área onde foi injetado. Já foi testado em porcos e ratos, e o próximo passo presumível é começar a injetá-lo em crianças de verdade.

Luiz Custodio
.naturalnews.com/ / mit.edu / scientificamerican.com/

Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) anunciaram a conclusão de uma tecnologia de “tatuagem” da Marca da Besta para que crianças acompanhem de seus registros de vacinação.Poucos meses antes do coronavírus Wuhan (COVID-19) ser anunciado publicamente  por cientistas.

O microchip, que pode ser implantado diretamente na pele, foi projetado com uma tinta invisível especial que pode ser coletada com um filtro especial para celular. Essa tinta não é visível a olho nu.

Com duração de até cinco anos, esse corante é detectado por meio de luz infravermelha, que incide sobre a pele na área onde foi injetado. Já foi testado em porcos e ratos, e o próximo passo presumível é começar a injetá-lo em crianças de verdade.


Bill Gates eugenista bilionário pediu isso nos primeiros dias da pandemia , sugerindo que os "passaportes" para o vírus chinês incluíssem registros de injeção de pessoas.

“O sistema - que ainda não foi testado em crianças - forneceria acesso rápido e fácil ao histórico de vacinação, evitaria o risco de erros administrativos e acrescentaria pouco ao custo ou risco do procedimento”, relatou a Scientific American , citando um estudo sobre o projeto que foi publicado na revista Science Translational Medicine .

Tatuagens de pontos quânticos para completar o sistema da Marca da Besta

Mais uma vez, usando os pobres como desculpa para criar uma abominação como essa, os cientistas envolvidos no projeto afirmam que ele ajudará os países em desenvolvimento a obter melhores resultados de saúde para as crianças.

“Especialmente em países em desenvolvimento, onde os registros médicos podem não ser tão completos ou acessíveis, pode ser útil ter informações médicas diretamente associadas a uma pessoa”, comentou Mark Prausnitz, professor de bioengenharia do Instituto de Tecnologia da Geórgia (Georgia Tech), que não participou da pesquisa.

“Essa, eu acho, é uma maneira muito interessante de atingir esses objetivos.”

Ele também cumpre o objetivo profético de mesclar as informações de identificação das pessoas em uma injeção de microchipou tatuagem que pode ser digitalizada para fins de compra e venda , acesso a edifícios restritos, direção e participação em atividades sociais.

De acordo com os bioengenheiros do MIT, Robert Langer e Ana Jaklenec, pequenas manchas cheias de microagulhas são primeiro estampadas na pele das crianças para injetá-las com vacinas. Depois disso, a prova de injeção é armazenada nos demais componentes injetáveis.

Com a simples varredura do pulso, da testa ou de qualquer outro lugar onde esses componentes sejam injetados, o governo pode verificar rapidamente se uma criança está ou não “em dia” com o calendário de vacinas, que agora inclui vacinas contra a gripe Fauci.

“A equipe acabou usando uma tecnologia chamada pontos quânticos, minúsculos cristais semicondutores que refletem a luz e foram originalmente desenvolvidos para marcar células durante a pesquisa”, relatou Scientific American . “O corante demonstrou ser seguro em humanos.”

Nem todos estão de acordo com o plano, como você pode esperar. Especialistas em privacidade dizem que existem riscos envolvidos em ter pessoas andando por aí com microchips em seus corpos que contêm todas as suas informações pessoais.

“Diferentes pessoas e diferentes culturas provavelmente se sentirão diferentes por ter uma tatuagem médica invisível”, acrescentou Prausnitz.

De forma alguma, uma surpresa é o fato de que a Fundação Bill e Melinda Gates financiou essa pesquisa da Marca da Besta. Foi lançado por causa de um “pedido direto” do próprio Gates, que afirma querer esses microchips dentro do corpo das pessoas com o propósito de “erradicar a doença”.

“Se não tivermos bons dados, é realmente difícil erradicar a doença”, acrescentou Jaklenec em apoio à agenda de Gates.


Estamos de olho, as últimas notícias sobre as vacinas COVID-19 e a implementação sistemática da Marca da Besta podem ser encontradas aqui.

Apoie o jornalismo gratuito e independente
Seu apoio ajuda a proteger nossa independência para que o Tribuna Nacional continue oferecendo jornalismo independente de alta qualidade e gratuito para todos. Cada contribuição, seja grande ou pequena, ajuda a garantir nosso futuro. Se você puder, considere fazer uma doação mensal recorrente.



 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.