07/11/2021 às 10h30min - Atualizada em 07/11/2021 às 10h30min

TRISTE REALIDADE: Mais 3 relatos de mortes de adolescentes após serem vacinados e com relatos de lesões excedendo 850.000 casos

Os dados vêm diretamente de relatórios enviados ao VAERS, o principal sistema financiado pelo governo para relatar reações adversas à vacina nos Estados Unidos

Luiz Custodio
medalerts.org / wonder.cdc.gov / childrenshealthdefense.org

Os dados do VAERS divulgados hoje pelo CDC incluíram um total de 856.919 notificações de eventos adversos de todas as faixas etárias após as vacinas COVID, incluindo 18.078 mortes e 131.027 feridos graves entre 14 de dezembro de 2020 e 29 de outubro de 2021.
 

Dados divulgados hoje pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) mostraram que entre 14 de dezembro de 2020 e 29 de outubro de 2021, um total de  856.919 eventos adversos  após vacinas COVID foram relatados ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas (VAERS )
 

Os dados incluíram um total de  18.078 notificações de mortes  - um aumento de 459 em relação à semana anterior. Houve  127.457 notificações de ferimentos graves , incluindo mortes, durante o mesmo período - um aumento de 3.570 em comparação com a semana anterior.
 

Excluindo “ relatórios estrangeiros ” para VAERS,  634.609 eventos adversos , incluindo  8.284 mortes  e  52.685 feridos graves , foram relatados nos EUA entre 14 de dezembro de 2020 e 29 de outubro de 2021.
 

Das 8.284 mortes nos Estados Unidos relatadas em 29 de outubro,  10% ocorreram  dentro de 24 horas após a vacinação,  15% ocorreram  dentro de 48 horas após a vacinação e  em pessoas que experimentaram o início dos sintomas dentro de 48 horas após serem vacinadas.
 

Nos EUA, 418,6 milhões de doses da vacina COVID foram administradas até 29 de outubro. Isso  inclui : 246 milhões de doses de  Pfizer , 157 milhões de doses de  Moderna  e 15 milhões de doses de  Johnson & Johnson  (J&J).
 

Os dados vêm diretamente de relatórios enviados ao VAERS, o principal sistema financiado pelo governo para relatar reações adversas à vacina nos Estados Unidos
 

Todas as sextas-feiras, o  VAERS  torna públicos todos os relatórios de lesões vacinais recebidos em uma data especificada, geralmente cerca de uma semana antes da data de lançamento. Os relatórios enviados ao VAERS requerem uma investigação mais aprofundada antes que uma relação causal possa ser confirmada. Historicamente, foi demonstrado que o VAERS relata apenas  1% dos eventos adversos reais da vacina .
 

Os dados americanos desta semana para jovens de 12 a 17 anos mostram:


As mortes mais recentes incluem uma menina de 12 anos da Carolina do Sul (VAERS ID  1784945 ) que teve hemorragia 22 dias após receber a vacina COVID da Pfizer, uma menina de 13 anos de Maryland (VAERS ID  1815096 ) que morreu 15 dias após receber sua primeira dose da vacina COVID da Pfizer de um problema cardíaco e uma mulher de 17 anos do Texas (VAERS ID  1815295  que experimentou uma crise hiperglicêmica aguda   33 dias após ser vacinada.

 

Outra morte recente envolve uma menina de 12 anos ( VAERS ID 1784945 ) que morreu de  hemorragia respiratória  22 dias após receber sua primeira dose da vacina da Pfizer.

  • 59 notificações  de anafilaxia entre jovens de 12 a 17 anos em que a reação foi fatal, exigiu tratamento ou resultou em morte - com 96% dos casos
    atribuídos à  vacina da Pfizer .
  • 547 notificações  de miocardite e pericardite (inflamação do coração) com  539 casos  atribuídos à vacina da Pfizer.
  • 126 notificações  de distúrbios de coagulação do sangue, com todos os casos atribuídos à Pfizer.

Apoie o jornalismo gratuito e independente
Seu apoio ajuda a proteger nossa independência para que o Tribuna Nacional continue oferecendo jornalismo independente de alta qualidade e gratuito para todos. Cada contribuição, seja grande ou pequena, ajuda a garantir nosso futuro. Se você puder, considere fazer uma doação mensal recorrente.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.