06/11/2021 às 11h28min - Atualizada em 06/11/2021 às 11h28min

Greta Thunberg afirma que 'o mundo está literalmente em chamas'

A jovem ativista sueca pelo clima, Greta Thunberg, afirmou que o mundo precisa de mudanças imediatas e drásticas para evitar um desastre iminente.

Luiz Custodio
RT.COM

Rotulando o evento da COP26 como um fracasso, ela acusou governos 'vergonhosos' e líderes mundiais de serem cúmplices dos problemas ecológicos do mundo.
 

Ela também afirmou que 'O mundo está literalmente queimando'.
 

Relatórios da RT : O “Norte Global” está “se recusando a tomar qualquer ação climática drástica”, ela continuou, e todos os políticos reunidos na conferência querem “continuar a lutar pelo status quo”.

 

“Esta não é mais uma conferência sobre o clima. Este é agora um festival global de lavagem verde, uma celebração de duas semanas de negócios como de costume e 'blá, blá, blá' ”, trovejou Thunberg. A cúpula do clima se tornou um evento de relações públicas, ela argumentou, e as pessoas no poder estão sacrificando "valores inestimáveis" para "manter os negócios como de costume" e continuar sua "exploração das pessoas e da natureza".

 

Thunberg ecoou seus próprios comentários de segunda-feira, mas foi ainda mais estridente, insistindo que "as vozes das gerações futuras estão se afogando em suas promessas vazias".
 

“Precisamos de cortes de emissões anuais imediatos, drásticos, como tudo o que o mundo já viu”, para evitar mudanças “irreversíveis” no clima global, disse Thunberg à multidão. “E como não temos as soluções tecnológicas que sozinhas farão perto disso, isso significa que teremos que mudar fundamentalmente a nossa sociedade.”

 

“ O mundo está literalmente queimando, pegando fogo. 

 

“Nossos líderes não estão liderando. É assim que a liderança se parece ” , disse ela, gesticulando para a multidão. Os políticos têm medo da verdade, afirmou ela, mas “eles não podem ignorar o consenso científico e, acima de tudo, eles não podem nos ignorar, o povo - incluindo seus próprios filhos”.

 

Thunberg também criticou a mídia, que ela disse "falhar em responsabilizar as pessoas no poder por sua ação e inação".
 

O discurso de quase dez minutos também incluiu referências às “causas profundas” dos problemas mundiais, desigualdade, exploração e até uma forma de reparação para os países que ela disse serem os mais afetados pelas mudanças climáticas.


Apoie o jornalismo gratuito e independente
Seu apoio ajuda a proteger nossa independência para que o Tribuna Nacional continue oferecendo jornalismo independente de alta qualidade e gratuito para todos. Cada contribuição, seja grande ou pequena, ajuda a garantir nosso futuro. Se você puder, considere fazer uma doação mensal recorrente.


 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.