28/10/2021 às 11h25min - Atualizada em 28/10/2021 às 11h25min

Um terço dos militares dos EUA ainda não foi vacinado: 468.000 militares da ativa têm apenas um mês para disparar até o prazo final do mandato ou enfrentar o machado

32% do total de 1,46 milhão de funcionários militares não foram totalmente inoculados

Luiz Custodio
Daily Mail

Apenas 68% dos EUA são militares e estão totalmente vacinados contra o  coronavírus  em menos de cinco semanas para o prazo final do mandato.
 

Cerca de 468.000 - ou 32% - do total de 1,46 milhão de funcionários militares não foram totalmente inoculados na quarta-feira, antes da data-alvo de 28 de novembro para a Marinha e Fuzileiros Navais em serviço ativo .
 

Cerca de 82% da força total recebeu pelo menos uma injeção, disse o porta-voz do Pentágono John Kirby, o que significa que cerca de 263.200 membros ainda não receberam uma única dose de uma vacina aprovada pelo FDA.
 

Os números são mais promissores entre a força de serviço ativo , onde 97% receberam pelo menos uma injeção e 87 por cento estão totalmente vacinados.
 

As tropas ativas do Exército devem estar totalmente inoculadas até 15 de dezembro, enquanto os funcionários da Reserva e da Guarda Nacional têm até 30 de junho de 2022 para receber o jab, disse o Exército dos EUA.
 

Kirby disse aos repórteres na quarta-feira que houve pouca resistência à vacina.
 

'As pessoas entendem que este é um programa importante ', disse ele. "E eles estão participando disso."

 

Houve 383.560 casos de coronavírus e 578 mortes na comunidade militar desde o início da pandemia de coronavírus , de acordo com o Departamento de Defesa.
 

Antes do mandato, as vacinas eram opcionais, mas o tenente-general R. Scott Dingle disse em agosto que seriam necessárias para proteger a força .
 

'Isso é literalmente uma questão de vida ou morte para nossos soldados, suas famílias e as comunidades em que vivemos', disse ele em um comunicado à imprensa.

 

Aqueles que recusassem um tiro COVID seriam punidos, embora não fosse imediatamente claro quais seriam as repercussões.

 

Participe:

CANAL | GRUPO

 
Apoie o jornalismo gratuito e independente
Seu apoio ajuda a proteger nossa independência para que o Tribuna Nacional continue oferecendo jornalismo independente de alta qualidade e gratuito para todos. Cada contribuição, seja grande ou pequena, ajuda a garantir nosso futuro. Se você puder, considere fazer uma doação mensal recorrente.









Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.