19/10/2021 às 14h05min - Atualizada em 19/10/2021 às 14h05min

China relata outro caso humano de gripe aviária H5N6

A Organização Mundial da Saúde disse no início deste mês que o aumento da vigilância é “necessário com urgência” para entender melhor o risco e o recente aumento do contágio para os humanos.

Cristina Barroso
BNO News
(REPRODUÇÃO)
Outra pessoa na China continental testou positivo para a gripe aviária H5N6, somando-se a um recente aumento de casos isolados que preocupou alguns pesquisadores que pediram maior vigilância.

O Departamento de Saúde de Hong Kong disse em um comunicado na segunda-feira que foi notificado sobre uma mulher de 60 anos de idade de Changde, província de Hunan, que testou positivo para a gripe aviária H5N6. Não houve anúncio das autoridades locais.

“Ela desenvolveu sintomas em 3 de outubro e foi internada para tratamento em 13 de outubro. A paciente está em estado crítico”, disse o Departamento de Saúde de Hong Kong em um comunicado. Ele disse que a mulher é uma agricultora que foi exposta a aves mortas.

Apenas 49 pessoas foram infectadas com a gripe aviária H5N6 desde o primeiro caso confirmado em 2014, mas mais de um terço dessas pessoas foram relatadas durante os últimos 3 meses e mais da metade durante o ano passado.

A gripe aviária H5N6 é conhecida por causar doenças graves em humanos de todas as idades e já matou mais da metade das pessoas infectadas, de acordo com a OMS. Não há casos confirmados de transmissão entre humanos, mas uma mulher de 61 anos com teste positivo em julho negou ter contato com aves vivas.

No mês passado, um estudo publicado pelo Centro de Controle de Doenças da China identificou várias mutações em dois casos recentes de gripe aviária H5N6.

“A crescente diversidade genética e distribuição geográfica do H5N6 representam uma séria ameaça à indústria avícola e à saúde humana”, disseram os pesquisadores. “A tendência crescente de infecção humana pelo vírus da influenza aviária se tornou um importante problema de saúde pública que não pode ser ignorado.”

A Organização Mundial da Saúde disse no início deste mês que o aumento da vigilância é “necessário com urgência” para entender melhor o risco e o recente aumento do contágio para os humanos. Ele acrescentou que, com base nas evidências atuais, o H5N6 não adquiriu a capacidade de transmissão sustentada entre humanos, o que significa que a probabilidade de propagação entre humanos permanece baixa.

Um relatório do CDC europeu, no entanto, expressou preocupação sobre a detecção de vírus H5N6 com marcadores para adaptação em mamíferos. “Os relatórios adicionais de eventos de transmissão para mamíferos, por exemplo, focas e uma raposa, bem como evidências soroepidemiológicas de transmissão para javalis, podem indicar processos evolutivos, incluindo adaptação de mamíferos com a possibilidade de adquirir a capacidade de transmissão para humanos”, disse o relatório. .
Apoie o jornalismo gratuito e independente
Seu apoio ajuda a proteger nossa independência para que o Tribuna Nacional continue oferecendo jornalismo independente de alta qualidade e gratuito para todos. Cada contribuição, seja grande ou pequena, ajuda a garantir nosso futuro. Se você puder, considere fazer uma doação mensal recorrente.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »