15/10/2021 às 11h12min - Atualizada em 15/10/2021 às 11h12min

Uma guerra de bastidores por Xi como Mao e seu controle sobre o PCC

“O separatismo da independência de Taiwan é o maior obstáculo para alcançar a reunificação da pátria mãe”

Luiz Custodio
https://www.frc.org/
A pequena ilha de Taiwan está preocupada com as nuvens de tempestade se formando na China continental, onde um número recorde de aeronaves chinesas recentemente penetrou nas fronteiras externas de suas defesas aéreas, mas um especialista em segurança nacional disse que os líderes comunistas da China também estão em guerra entre si por um ataque.


A Força Aérea da China Comunista enviou mais de 150 aeronaves para a zona de defesa aérea de Taiwan em um período de dois dias, um claro aviso de que a paciência de Pequim está chegando ao fim em seu plano há muito anunciado para atacar e conquistar a nação independente que afirma ser sua.


Em um discurso público que se seguiu às surtidas de aeronaves, e que comemorou 110 anos da revolução marxista na China, o presidente Xi Jinping prometeu “reunificar” a China com Taiwan.

 

“O separatismo da independência de Taiwan é o maior obstáculo para alcançar a reunificação da pátria mãe”, disse ele, “e o perigo oculto mais sério para o rejuvenescimento nacional”.



Bob Maginnis, analista de segurança nacional do  Family Research Council,  diz que XI fez da "reunificação" com Taiwan uma parte fundamental de seu esforço contínuo para permanecer no poder.
 

“E assim, quanto mais ele atrasar a tomada de Taiwan”, diz Maginnis, “mais difícil será para ele permanecer no poder”.



A China é governada pelo Congresso Nacional do Povo, onde Xi foi eleito presidente pela primeira vez em 2013, e novamente em 2017, depois de subir na hierarquia repleto de companheiros comunistas implacáveis. Em 2018, o Congresso do Povo votou pela abolição do limite de dois mandatos no que foi descrito como uma decisão surpreendente e agora Xi espera ganhar um terceiro mandato sem precedentes em 2022.


Os limites de mandato foram estabelecidos pelo Congresso do Povo durante os anos 1980 para evitar que a nação fosse governada por outro homem forte como Mao, que os líderes chineses sabem muito bem que significaria uma cela de prisão ou uma bala para inimigos políticos. Agora, porém, o poder de Xi está sendo comparado ao cruel Mao.


De acordo com Maginnis, era improvável que a China estivesse se preparando para atacar Taiwan tão cedo. Esse plano pode ter mudado, ele aconselha, porque a China agora está observando o fraco presidente dos Estados Unidos. Provavelmente Xi está sendo pressionado a agir enquanto Joe Biden permanece na Casa Branca.


 

“Portanto, espero que o cronograma tenha sido acelerado”, prevê Maginnis.

 

Participe:

 

Além de compartilhar este artigo, você pode ajudar de outra forma fazendo com que nosso trabalho chegue a mais pessoas clicando AQUI


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.