14/10/2021 às 13h11min - Atualizada em 14/10/2021 às 13h11min

Policiais resistem: Chicago pode perder 50% da força policial por causa do mandato de vacinas

A pressão da ditadura da vacina COVID está criando linhas de batalha nos lugares mais estranhos, como a força policial de Chicago. Está arriscando uma demissão em massa por funcionários que se recusam a tomar as injeções de terapia genética, o que poderia ser catastrófico para a lei e a ordem em uma cidade já problemática

Luiz Custodio
theepochtimes.com

O chefe do   sindicato dos policiais de Chicago na terça-feira pediu a seus membros que se recusassem a cumprir o mandato da cidade para a  vacina COVID-19 , que deve entrar em vigor na sexta-feira.
 

“Não preencha as informações do portal”, disse o presidente da Ordem Fraternal da Polícia de Chicago, John Catanzara  , em um vídeo  para policiais postado no YouTube. “Eu deixei minha situação muito clara no que diz respeito à vacina, mas não acredito que a cidade tenha autoridade para impor isso a ninguém - muito menos às informações sobre seu histórico médico”.

 

De acordo com Catanzara, o sindicato da polícia está preparando um processo contra a cidade se a administração do prefeito  Lori Lightfoot tentar fazer cumprir a ordem, que exige que os funcionários municipais relatem sua situação de vacina até sexta-feira ou sejam colocados em situação de "não pagamento".
 

“É seguro dizer que a cidade de Chicago terá uma força policial de 50% ou menos neste fim de semana que se aproxima”, disse Catanzara.

 

O Epoch Times entrou em contato com o escritório de Lightfoot para comentar.
 

“Posso garantir que a situação de não pagamento não durará mais do que 30 dias”, disse Catanzara na terça-feira. “Não há como eles conseguirem sustentar uma força de trabalho do departamento de polícia com 50% da capacidade ou menos por mais de sete dias sem que algo se mexa”.

 

“Isso claramente não é uma ação de trabalho”, acrescentou ele, “não é um chamado para uma greve”.

 

O chefe do sindicato da polícia em seu vídeo instrui os membros a solicitar isenções ao recebimento da vacina COVID-19, mas não inserir essa informação no portal de vacinas da cidade.
 

Respondendo ao vídeo de Cantanzara durante uma coletiva de imprensa na quarta-feira, Lightfoot o acusou de espalhar informações falsas, descartando a maioria de suas declarações como "falsas ou patentemente falsas".
 

“Nosso foco é garantir que maximizamos a oportunidade de criar um local de trabalho muito seguro”, disse Lightfoot aos repórteres. “Os dados são muito claros. É uma pena que a liderança da FOP optou por lançar uma contra-narrativa. Mas o fato é que, se você não está vacinado, está brincando com sua vida, a vida de sua família, a vida de seus colegas e do público ”

 

Participe:

 

Além de compartilhar este arquivo, você pode ajudar de outra forma fazendo com que nosso trabalho chegue a mais pessoas clicando AQUI


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »