21/07/2020 às 09h42min - Atualizada em 21/07/2020 às 09h42min

Contra o COVID-19, Porto Feliz tem uma das maiores taxas de curados

Protocolo de tratamento inovador traz esperança

Luiz Custodio
Diário do Rio Claro
Gazeta SP

Desde o início da pandemia, a Prefeitura que é administrada pelo médico Dr. Cássio Habice Prado (PTB), implantou um novo posicionamento frente à doença. A ação foi baseada nos protocolos aplicados em países da Europa e começou a ser aplicada nas chamadas Unidades Sentinelas, que são unidades de saúde que estão sendo utilizados, especificamente, para receber e avaliar pacientes com sintomas da doença.

“Em março, fizemos um protocolo, reunindo os médicos da minha equipe e esse protocolo se baseou no protocolo de Madri, de Bérgamo e de Marselha. Desde o final de março, quando tivemos o primeiro caso, temos feito o tratamento precoce de todos os pacientes com sintomas leves de Covid-19, com diagnóstico clínico e tomográfico”, disse o prefeito em uma transmissão ao vivo.

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO

A indicação é para que qualquer cidadão que tenha febre, tosse, mialgia (dores musculares) ou perda de olfato, procure imediatamente uma Unidade Sentinela para ser avaliado pelas equipes médicas e não esperar a falta de ar. A partir da recepção desse paciente, além do exame habitual realizado, a Prefeitura realiza uma tomografia. Segundo a assessoria, já foram realizadas mais de mil tomografias com recursos próprios. O objetivo da tomografia é avaliar a condição do pulmão do paciente, já que, o exame de sangue que comprova a doença demora uma semana para ficar pronto.

A partir da tomografia, constatando a condição do paciente, são realizados exames como: função renal e hepática, eletrólitos, hemograma, d-dimero, ferritina, gasometria arterial, DHL, lactato, Proteína c-reativa, tomografia computadorizada de tórax e eletrocardiograma laudado por cardiologista e a autorização formal de cada paciente. O paciente é avaliado através da consulta médica, na qual é realizado exame físico, história clínica, exames laboratoriais, eletrocardiografia e tomografia. Só então é decidido pelo médico assistente se há ou não indicação com segurança do uso das medicações que compõem o Protocolo de Tratamento Precoce (PTP).



MEDICAMENTOS ADMINISTRADOS

O PTP inclui medicamentos como hidroxicloroquina, azitromicina, enoxaparina, remédio para enjoo e anti-inflamatório. “Todas as pessoas que entraram no PTP são acompanhadas diariamente por equipe médica e de enfermagem, além de receberem telemonitoramento pela equipe sentinela e da vigilância epidemiológica. Todos fazem o eletrocardiograma antes e realizam novamente, a critério médico”, destacou em nota a Prefeitura.

Formado pela Universidade de São Paulo (USP), pós-graduado em Medicina Intensiva e especialista em UTI, o prefeito de Porto Feliz disse que, apesar das críticas iniciais, nenhum dos pacientes tratados com a cloroquina precocemente evoluiu a tubo, respirador, UTI ou óbito.

“Os óbitos que tivemos (até o dia 17 de julho) na cidade são de pacientes que não fizeram o tratamento precoce. Mesmo que os pacientes evoluam para a fase dois, fica mais fácil o tratamento”, relatou Prado.


ÓBITOS

As pessoas que vieram a óbito, até o dia 17 de julho, não passaram pelo PTP, segundo a Prefeitura. De acordo com a assessoria, os dez óbitos foram de pessoas que procuraram tardiamente o tratamento e já possuíam comorbidades.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »