27/07/2021 às 11h47min - Atualizada em 27/07/2021 às 11h47min

Vacina de mRNA, nanopartículas de grafeno são vacinas ou experimento científico?

“Uma vez que você é injetado com GBH (hidrogéis à base de grafeno), é impossível removê-lo, pois se liga ao corpo, que é incapaz de rejeitá-lo, pois não é reconhecido como uma substância estranha. Sua estrutura permite que ele invada todas as partes do corpo, inclusive cruzando a barreira hematoencefálica.” “Na pior das hipóteses, você será reduzido a um escravo sem vontade, um autômato.”

Cristina Barroso
(REPRODUÇÃO)
Já ficou claro que as vacinas Covid possuem nanopartículas de grafeno. No início da pandemia não podiamos dar essa informação, agora com pelo menos com metade da população vacinada, eles mesmos não escondem mais.
A vacina Covid é um experimento científico, agora qual a real finalidade desse experimento?
Leiam as informações abaixo e liguem os pontos.

Todas as vacinas são fabricadas com a mesma nanotecnologia. Na Espanha, foi até descrito como "nanopartículas secretas". Essas nanopartículas tornam-se magnéticas quando atingem a mesma temperatura do corpo humano. Quando eles permanecem em um ambiente abaixo de zero grau, eles permanecem não magnéticos. [Por que eles congelam as vacinas?]
Por que tantos relatos de pessoas no mundo inteiro denunciando que ficaram magnéticas após a vacina? Pensem.

A revista Nature publicou em dezembro de 2020 matéria intitulada “Observação de domínios magnéticos em grafeno magnetizado por controle de temperatura, tensão e campo magnético” 
O grafeno, como um material 2D, é um excelente candidato para substituir muitos materiais convencionais em várias aplicações devido às notáveis ​​propriedades elétricas, térmicas, mecânicas e ópticas. Na estrutura em favo de mel do grafeno, a presença de um elétron livre por átomo é responsável pela alta mobilidade de elétrons e o transporte de portadores é descrito pela equação de Dirac. Além disso, outras propriedades elétricas, como efeitos Hall quânticos à temperatura ambiente , estrutura de banda única e efeitos de campo elétrico ambipolar, cobre a aplicação eletrônica.
Além da eletrônica, o grafeno também é um material atraente na spintrônica, onde além da carga, o spin dos elétrons é considerado. Na verdade, o grafeno é adequado para dispositivos de lógica de spin devido às suas propriedades, como transporte de spin à temperatura ambiente com comprimentos de difusão de spin longos. Embora as propriedades magnéticas não existam naturalmente no grafeno, é valioso na spintrônica. Recentemente, a propriedade magnética é criada no grafeno pela manipulação de sistemas eletrônicos. Curiosamente, os domínios magnéticos estruturam efeitos diretos nas propriedades magnéticas. Geralmente, os materiais ferromagnéticos são compostos de um domínio magnético, com todos os dipolos alinhados na mesma direção, o que é consequência de uma forte força motriz para o alinhamento paralelo causada pela troca de energia. Essa energia é um efeito da mecânica quântica que tende a alinhar os spins dos elétrons e, em conseqüência, seus momentos dipolares magnéticos, simultaneamente. 
Visivelmente, a formação de domínios magnéticos certamente minimizaria a troca de energia; portanto, reduz a energia magnética total da formação de materiais ferromagnéticos e aumenta sua estabilidade. Da mesma forma, a produção desses domínios no grafeno durante a magnetização pode, portanto, fazer uma revolução na tecnologia futura. Essencialmente, o magnetismo no grafeno pode ser criado por vários métodos, como funcionalização, dopagem e adição de átomos. Na verdade, a simetria da estrutura eletrônica é quebrada localmente em torno das novas ligações e os momentos magnéticos são criados nesta área.  A observação do campo pseudomagnético no grafeno deformado sem danificar a estrutura de rede é a grande lacuna no processo de magnetização 42 , 43 , 44 . Na verdade, a criação do campo pseudomagnético em nanobolhas de grafeno altamente tensionadas é uma das abordagens extremas no magnetismo de grafeno 42 . Em nosso estudo anterior, o método baseado no efeito Leidenfrost (LFE) para a preparação de grafeno ferromagnético é introduzido 45 .A evaporação de gotículas de grafeno sob alta temperatura e campo magnético externo leva ao magnetismo no grafeno. Neste método, a temperatura, o campo magnético e a deformação são aplicados simultaneamente aos flocos de grafeno e ocorre a magnetização. Aqui, todos esses parâmetros são considerados separadamente e determinam suas contribuições.
:




 

Como diz Celeste Solum ex médica da FEMA:

"É improvável que as pessoas aceitem a drástica destruição distópica de sua qualidade de vida prevista pela Agenda 2030. As vacinas da Covid contendo grafeno são provavelmente um método para nos controlar.
“Uma vez que você é injetado com GBH (hidrogéis à base de grafeno), é impossível removê-lo, pois se liga ao corpo, que é incapaz de rejeitá-lo, pois não é reconhecido como uma substância estranha. Sua estrutura permite que ele invada todas as partes do corpo, inclusive cruzando a barreira hematoencefálica.”
“Na pior das hipóteses, você será reduzido a um escravo sem vontade, um autômato.”

O discurso é sempre o mesmo, tudo pela nossa saúde. Mas será verdade?

Em fevereiro de 2021 a Clinical Omics publicou matéria intitulada “O hidrogel de grafeno pode ajudar a vacina de mRNA contra o câncer de forma mais eficaz” , veja alguns trechos da matéria:
Um hidrogel de óxido de grafeno especializado pode ajudar a estabilizar vacinas terapêuticas de mRNA contra o câncer e liberá-las lentamente no tecido alvo, mostram os primeiros resultados do Centro Nacional de Nanociência e Tecnologia em Pequim.
As vacinas de mRNA têm atraído muita atenção nos últimos meses devido à aprovação das vacinas de mRNA COVID-19 desenvolvidas pela BioNTech / Pfizer e Moderna. No entanto, antes da pandemia, tanto a Moderna quanto a BioNTech tinham como foco o desenvolvimento de vacinas contra o câncer, embora nenhuma tenha chegado ainda à clínica.
As vacinas terapêuticas de mRNA têm muito potencial para direcionar o câncer, pois podem codificar antígenos específicos do tumor e desencadear a liberação de células imunes que visam tumor pelo corpo. Eles também têm um bom perfil de segurança em comparação com outros medicamentos. Mas houve problemas no passado com a estabilidade do RNA. Colocar o RNA nos tecidos certos também pode ser um problema.
“Para alcançar resultados terapêuticos marcantes, as vacinas baseadas em nanopartículas precisam ser administradas repetidamente, o que pode gerar resultados terapêuticos instáveis ​​e impedir sua transformação clínica”, escrevem Wang e co-autores na revista Nano Letters.
“Assim, há uma necessidade urgente de estabelecer um sistema de entrega eficaz para a liberação sustentada de longo prazo de vacinas de RNA para imunoterapia contra o câncer.”
“Este hidrogel transformável pode não apenas encapsular e proteger o mRNA da degradação, mas também direcionar os linfonodos para ativar as células do sistema imunológico”, explicam os autores.
Embora o sucesso das vacinas de mRNA COVID-19 signifique que o campo provavelmente atrairá maior interesse e investimento nos próximos anos, as vacinas terapêuticas de mRNA do câncer são um alvo mais difícil do que as vacinas profiláticas direcionadas a doenças infecciosas.
Tanto a BioNTech quanto a Moderna, e outras empresas semelhantes, têm vacinas de mRNA que estão sendo testadas atualmente em pacientes com câncer no estágio de Fase I / II, mas nenhuma vacina de mRNA contra o câncer foi aprovada até agora.
Estamos servindo de cobaias? 
Por que não aceitam a eficácia dos medicamentos que combatem e poderiam ter salvado muitas vidas nessa pandemia?
Por querem nos impor essas vacinas?

LEIA TAMBÉM:
  1. Universidade Johns Hopkins: Aqueles que recusam a vacina podem ser vacinados com um teste de PCR!
  2. Surpreendentemente, de acordo com Bridle, a vacina COVID-19 é diferente das vacinas tradicionais.
  3. A "Moderna" com o mRNA criou um sistema operacional travestido de vacina
  4. Tudo o que você precisa saber está aqui.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »