15/07/2021 às 09h33min - Atualizada em 15/07/2021 às 09h33min

Patente revela que DARPA, Bill Gates, Defra e outras entidades financiaram a COVID-19

Tecnologia: Patente revela que DARPA, Bill Gates, Defra e outras entidades financiaram a COVID-19 - Documento de patente mostra que DARPA construiu o coronavírus com a ajuda de Bill Gates, OMS e outras entidades

Cristina Barroso
Coletividade Evolutiva
(REPRODUÇÃO)
Uma patente coloca mais luz e credibilidade na hipóteses do coronavírus ter vazado do laboratório em Wuhan, foi criado e possivelmente liberado intencionalmente por comando de globalistas. O documento de patente mostra que o coronavírus Wuhan (Covid-19) foi incubado quase dois anos antes de seu lançamento ao público, provando que não apareceu aleatoriamente em morcegos em um mercado úmido Chinês.
O Serco Group da Grã-Bretanha que presta serviços para o governo, aprovou o pedido de patente para o vírus chinês 17 meses antes de seu aparecimento, e as entidades listadas como seus criadores são muitos dos suspeitos como de costume: A Agência secreta mais conhecida pela sigla DARPA, fundação Bill e Melinda Gates, Defra, o Wellcome Trust e a Comissão europeia (UE).

Um processo junto ao Escritório de Patentes dos Estados Unidos também lista o Instituto Pirbright (dedicado ao estudo de doenças infecciosas de animais de criação. Faz parte do Conselho de Pesquisa em Biotecnologia e Ciências Biológicas do governo do Reino Unido ) - É diretamente financiado pela "organização sem fins lucrativos" Bill & Melinda Gates.
Essa patente, datada para aprovação em 20 de novembro de 2018, afirma claramente que o “cessionário” do “coronavírus” é “O INSTITUTO PIRBRIGHT  da Grã-Bretanha, financiado pela Wellcome Trust, fundação Bill & Melinda Gates e a Comissão europeia . ”

Esta patente foi registrada em 23 de janeiro de 2017, na verdade, significa que o coronavírus Chinês foi criado quase três anos antes de a notícia começar a se espalhar em Wuhan e, posteriormente, no resto do mundo.

“A patente do coronavírus foi emitida em apenas 17 meses após o depósito inicial - uma velocidade quase inédita - com pouquíssima objeção do examinador de patentes gerenciado pelo SERCO (Reino Unido) Bao Q. Li”, relata o State of the Nation .

Pirbright emprega um professor com o nome de Bryan Charleston, que está listado no site da escola como bolsista da Wellcome Trust e pós-doutorado que ajudou a fornecer “aconselhamento e experiência no projeto de modelos de desafio de doenças infecciosas para uma ampla gama de patógenos em espécies agrícolas importantes. ”

Wellcome e os outros grupos acima mencionados, aliás, também têm laços com a Pilgrims Society,(uma sociedade britânico-americana )  que controlou a imprensa por séculos, conduzindo o mundo para um sistema de fascismo social ateísta.

Bill Gates queria um novo coronavírus para que ele e seus aliados globalistas alcançassem, seu almejado sonho, reduzir a humanidade por meio de vacinas e tomar o controle da natureza humana

Na patente, é ainda revelado que Gates e seus comparsas procuraram criar um novo coronavírus com o propósito de desenvolver novas “vacinas”, o que obviamente geraria bilhões de dólares em novos lucros enquanto matava milhões de pessoas.

A página de patentes explica que o próprio coronavírus “pode ser usado como uma vacina para tratar e / ou prevenir uma doença, como bronquite infecciosa, em um indivíduo”. (também pode ser programado para ser um tipo de "vacina infecciosa")

Referindo-se a todos nós como seus "súditos", Gates deixou claro em sua patente que o coronavírus Covid-19 seria o veículo pelo qual ele e outros bilionários super-ricos entregariam o que está rapidamente se transformando em um. dos maiores destruidores da liberdade que este mundo já viu.

Pirbright também esteve envolvido no patenteamento de muitos outros vírus, incluindo a peste suína africana, que também está listada em documentos de patentes como sendo uma "vacina".
 Bill Gates anunciou discretamente suas intenções com o Evento 201

Muitos já se esqueceram disso, mas Gates também organizou o Evento 201 em 2019, poucos meses antes do lançamento do vírus chinês. Embora esse “exercício de simulação” tenha sido apelidado como uma situação hipotética envolvendo um vírus assassino potencialmente liberado, na vida real, ele rapidamente foi lançado ao mundo.
Gates sabia o tempo todo, é claro, que seu exercício iria ao ar porque ele e seus associados globalistas, planejou que acontecesse com anos de antecedência. Não há como negar isso, com base nas evidências disponíveis, e ainda poucos estão relatando essas verdades vitais no momento em que são mais necessárias.

Como você deve se lembrar, Gates até apresentou um cenário no Evento 201 de como "parcerias público-privadas" seriam necessárias durante uma plandemia global "para diminuir as conseqüências econômicas e sociais em grande escala".
“Nos últimos anos, o mundo tem visto um número crescente de eventos epidêmicos, totalizando aproximadamente 200 eventos por ano”, explicou um anúncio sobre o esquema.

“Esses eventos estão aumentando e são prejudiciais à saúde, à economia e à sociedade.”
Em outras palavras, a plandemia foi planejada, como dissemos. E não se esqueça que a empresa privada conhecida como CDC, junto com e agências reguladoras e muitas outras agências de saúde, política e da grande mídia, também são cúmplices desses crimes contra a humanidade.

LEIA TAMBÉM: 
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »