17/07/2020 às 13h14min - Atualizada em 17/07/2020 às 13h14min

Professor de Direito critica parcialidade da CNN

Jonathan Turley, da Universidade George Washington, pondera sobre a emissora

Kaio Lopes - com redação própria
FOX NEWS
Jonathan Turley, professor conceituado da GWU.
O renomado professor universitário, na área de Direito, Jonathan Turley, fez contundentes críticas ao ''jornalismo'' praticado pela CNN, destacando sua parcialidade na apuração dos fatos e seu explícito viés ideológico no tratamento das notícias. O fato ocorreu após o jornalista do canal, Jim Acosta, através do seu twitter, distorcer declarações da secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany - que ao ser questionada sobre a possibilidade dos EUA abrir as escolas infantis no Outono, reiterou o posicionamento favorável de Trump, especificando haver uma pesquisa sobre o baixíssimo risco de contaminação da COVID-19 entre as crianças.

Acontece que McEnany abriu e fechou aspas para a declaração do ex-chefe de Neurologia do Centro Médico de Stanford,  Dr. Scott Atlas, em que ele diz: ''É claro que podemos fazê-lo (sobre reabrir as escolas), Todos os outros países do mundo ocidental, nossos pares, estão fazendo. Nós somos o extremo daqui'. É daí que surgiu a deturpação de Acosta:
 

No tweet, ele faz um recorte contextual para dar a impressão que a secretária se refere à um consenso científico e não àquilo sublinhado por ela. Porém, o colega de emissora, Jake Tapper, constatou a errata de Jim ao explicar sobre sua interpretação equivocada da coletiva. Ao que o Jonathan Turley, surpreso com a rara posição da CNN e seus jornalistas em se retratar, considerou: ''Houve um momento revelador de dissonância na CNN esta semana, uma rede que é agora incansável em sua cobertura negativa e altamente partidária do governo''.

Turley continou a nota salientando a importância da correção pontual de Jake sobre Acosta: ''Isso foi clara e absolutamente falso. No entanto, ele sabia que jogaria bem no modelo eco-jornalístico adotado pela CNN. Ele rapidamente obteve 30 mil retweets. Mais tarde, ele acrescentou que McEnany realmente dizia o oposto daquilo reportado anteriormente, Isso recebeu 700 retweets. É o exemplo final da demanda de muitos espectadores para ouvir notícias que apenas apoiem seu próprio viés e contribuam para um tipo de zona de conforto jornalístico''.

O advogado termina afirmando que, mesmo entre seus amigos da CNN, há fortes lamentações sobre o quão ''anti-Trump'' é a agenda da emissora e complementa: ''Muitos vezes é impossível distinguir os hosts da CNN dos advogados nos programas. Os anfitriões agora se envolvem em advocacia aberta contra o presidente, descartando sob o pretexto de fazer o candidato assumir uma posição partidária. Eu realmente sinto falta da antiga CNN. A perda para o jornalismo é imensa. De fato, só alguma coisa pode estar levando as pessoas ao Trump''.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »