11/06/2021 às 08h34min - Atualizada em 11/06/2021 às 08h34min

A aposta corajosa e ousada de bitcoin de El Salvador oferece um vislumbre de um futuro pós-dólar americano

O país latino-americano, que usa o dólar desde 2001, se tornou o primeiro país do mundo a instituir a criptomoeda como moeda legal.

Luiz Custodio
rt.com
Neste caso, embora El Salvador seja um país pequeno com pouco mais de 6 milhões de habitantes, ainda assim deu um passo enorme, ousado, inovador e sem precedentes que pode ter um grande significado histórico. Se facilitar essas enormes transferências de riqueza para a nação em dificuldades, seu efeito dominó poderá ser enorme. Em qualquer caso, é um vislumbre de como um 'mundo pós-dólar' pode parecer, onde o uso crescente de moedas digitais, alternativas e independentes de blockchain efetivamente reescreve as regras do sistema e, no processo, prejudica o antigo monopólio do dólar. Isso pode vir a ser uma mudança radical que coloca a capacidade de Washington de gastar quantias astronômicas de dinheiro, ao mesmo tempo em que mantém um déficit de trilhões, em risco de longo prazo.

O país latino-americano, que usa o dólar desde 2001, se tornou o primeiro país do mundo a instituir a criptomoeda como moeda legal. Se esse movimento valer a pena, pode sinalizar o fim da hegemonia do dólar.

Na terça-feira à noite, o parlamento de El Salvador fez uma ação extraordinária, aprovando uma lei que tornaria a  criptomoeda bitcoin com curso legal. A nação latino-americana é o primeiro país do mundo em qualquer capacidade. O presidente do país, Nayib Bukele, argumentou que isso vai revolucionar sua economia, pois é um país onde a grande maioria da população não possui contas bancárias e muitos dependem de pagamentos de remessas enviadas dos Estados Unidos, onde vive uma grande população de expatriados.
 

El Salvador, para dizer o mínimo, é um país que sofreu uma história turbulenta e enfrenta alguns problemas extraordinários. Embora seu nome em espanhol signifique 'O Salvador', provavelmente não poderia ser menos celestial para sua população, se tentasse. Tendo enfrentado uma sangrenta guerra civil de 12 anos, de 1979 a 1992, apoiada pelos Estados Unidos, o país experimentou uma devastação de longa data que o deixou com uma das maiores taxas de crime organizado e homicídio per capita  do mundo. A economia foi posteriormente deixada em ruínas e foi forçada a adotar o dólar dos EUA, de todas as coisas, como sua moeda oficial em 2001.
 

Para piorar as coisas, os EUA impuseram o sistema econômico neoliberal aos países da América Latina, o que agravou os problemas existentes. El Salvador está passando por dificuldades fiscais, com o FMI à espreita em segundo plano, à espera de um reembolso de US $ 1 bilhão  Pode-se argumentar que as regras atuais são "manipuladas" contra o desenvolvimento deste país. Nesse caso, o que ele tem a perder ao fazer a aposta histórica sem precedentes de legalizar o bitcoin como uma moeda formal? Bukele argumenta que os pagamentos rápidos de criptomoedas baseados em dispositivos podem aumentar seu PIB em até 25%. Afinal, mesmo que o valor do bitcoin recentemente tenha caído um pouco, ele continua extremamente alto, e imagine a escala de dinheiro que poderia ser injetado na economia se ela crescesse novamente.

Porém, mais interessantes são as implicações políticas globais desse movimento. A adoção do bitcoin por um governo levará a uma reescrita fundamental da moeda e das finanças globais como as conhecemos? Isso, por sua vez, minará o papel do dólar americano? O Bitcoin é único pelo fato de ser politicamente autônomo, não ser governado por um banco central e não ser uma extensão das finanças globais, por enquanto, ou seja, se essa decisão for bem-sucedida e decolar, poderá, a longo prazo, potencialmente têm enormes ramificações para os Estados Unidos ao reduzir a influência do dólar.

 

Claro, existem desvantagens e limitações. Precisamente por não ser regulamentado, o bitcoin é volátil e instável, as recompensas são grandes, mas também o são as perdas e riscos potenciais. Por exemplo, qualquer empresa legal e sensata consideraria flutuar todos os seus ativos em bitcoin? El Salvador poderia fazer seu banco central flutuar no bitcoin e se livrar do dólar por completo? Poderia se tornar um meio para o comércio de commodities? No curto prazo, essas coisas parecem insustentáveis. O dólar americano é a moeda dominante no mundo porque é percebido como estável, confiável e seguro. O Bitcoin precisaria amadurecer a partir de agora se quiser ganhar influência semelhante.


No entanto, o aumento da criptomoeda em El Salvador é apenas parte de uma tendência muito mais ampla em todo o mundo que está potencialmente prejudicando o uso global do dólar. A política danificou irreversivelmente o dólar americano. O abuso das sanções financeiras americanas contra a Rússia levou Moscou a eliminar o dólar de seu próprio fundo soberano, substituindo-o por euros e RMB chineses. Enquanto isso, a própria Pequim está avançando com força com o  'yuan digital' , uma nova moeda digital revolucionária que será a primeira desse tipo no mundo. Apesar de ser blockchain, o yuan digital é o oposto ideológico do bitcoin porque é controlado pelo banco central da China. Muitos acreditam que isso servirá para minar o dólar e substituir sua  internacionalização .


ENTRE EM NOSSO CANAL e vamos discutir no GRUPO DO TELERAM.
https://t.me/canaltribunanacional
https://t.me/tribunanacionaloficial


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »