02/06/2021 às 22h54min - Atualizada em 02/06/2021 às 22h54min

862 quilos de cocaína preta e inodora, o sofisticado achado da polícia espanhola

A droga, que veio de Barranquilla, na Colômbia, com destino ao País Basco, passou por um complexo processo químico para ser camuflada em uma carga de carvão e escapar dos cães farejadores

Luiz Custodio
infobae

A polícia espanhola relatou uma estranha descoberta que levou à captura de três pessoas envolvidas em uma rede que supostamente contrabandeou centenas de quilos de cocaína para a Europa disfarçando-se de carvão e liberando-o de seu cheiro natural para escapar dos cães farejadores da alfândega dos postos de controle.

La red venía siendo investigada por los agentes de la Policía Nacional de España y la Policía Judicial de Portugal desde principios de 2020 después de que notaron que una empresa comercial estaba utilizando una variedad de organizaciones fachada para realizar importaciones sospechosas que no concordaban con sus supuestas operaciones comerciais.

 

Eles rastrearam o negócio até um conhecido traficante basco que certa vez passou 11 meses detido na Bolívia.

Em seguida, uma vigilância cuidadosa levou as autoridades portuguesas a um porto onde o conteúdo de dois contêineres de carvão deu positivo para cocaína.

“O modus operandi envolvia o uso de um complexo processo químico para camuflar as drogas como carvão, um processo executado pelos cartéis mexicanos e colombianos que abasteciam o suposto traficante ” , disse a força espanhola em um comunicado.

“A droga se tornou quase indetectável porque sua forma e cor eram muito semelhantes ao carvão. Além disso, o cheiro característico de cocaína foi eliminado, de modo que não pôde ser detectado por cães especialistas em narcóticos ”, acrescentaram.

Os policiais descobriram que a gangue havia colocado 30 sacos de "carvão de cocaína" entre 1.364 sacos de carvão real para dificultar a detecção.

Para disfarçar a droga no carvão, é necessário passar por um complexo processo químico em que ela perde sua cor e seu odor característicos, dificultando sua detecção.  Foto: EFE

Para disfarçar a droga no carvão, é necessário passar por um complexo processo químico em que ela perde sua cor e seu odor característicos, dificultando sua detecção. Foto: EFE

Para disfarçar a droga no carvão, é necessário passar por um complexo processo químico em que ela perde sua cor e seu odor característicos, dificultando sua detecção. Foto: EFE

Cinquenta funcionários espanhóis e portugueses rastrearam os dois contêineres quando foram transportados de caminhão de Portugal para o norte da Espanha, onde seu conteúdo seria separado e a cocaína recuperada em um laboratório.

Assim que os caminhões chegaram à base da quadrilha em um parque industrial na cidade de Medina del Campo, na região norte de Castilla y León, a polícia interveio, deteve três pessoas e apreendeu 862 quilos de cocaína.

“Esta importante operação não resultou apenas na prisão de um conhecido traficante de drogas, mas também produziu uma das maiores apreensões de cocaína registradas em Castela e Leão”, diz o comunicado da polícia espanhola. "Além do mais, tornou-se um modus operandi inédito."

Esta é a maior operação contra o narcotráfico realizada em Castela e Leão e envolveu um carregamento que no mercado negro teria um valor superior a 30 milhões de euros (36,6 milhões de dólares).

Segundo as autoridades espanholas, a droga vinha de Barranquilla (Colômbia) e seu destino final era o País Basco.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »