21/05/2021 às 21h45min - Atualizada em 21/05/2021 às 21h45min

O Facebook se orgulha de 50% de censura por 'discurso de ódio'

As empresas do Vale do Silício costumavam se gabar de sua abertura; hoje eles se gabam de sua censura.

Luiz Custodio
BREITBART

As empresas do Vale do Silício costumavam se gabar de sua abertura; hoje eles se gabam de sua censura.

O Facebook lançou seu “relatório de aplicação de padrões da comunidade” trimestral. Nos dados, a rede social revelou que a prevalência do chamado discurso de ódio na plataforma no último trimestre foi de 0,05-0,06 por cento - metade de sua prevalência no terceiro trimestre de 2020.
 

Na postagem do Facebook resumindo os dados, a gigante da tecnologia também se gabou de seu uso de inteligência artificial para censurar o chamado discurso de ódio. A empresa afirma que seus sistemas de IA “detectam proativamente” cerca de 97% do conteúdo de discurso de ódio que é removido pela plataforma, o que significa que a maior parte da censura no Facebook é facilitada por máquinas.

Via Facebook :

Avaliamos a eficácia de nossa aplicação tentando manter a prevalência de discurso de ódio em nossa plataforma o mais baixo possível, enquanto minimizamos erros no conteúdo que removemos. Essa melhoria na prevalência no Facebook se deve às  mudanças que fizemos para reduzir o conteúdo problemático no Feed de notícias.

Os avanços nas tecnologias de IA  nos permitiram remover mais discursos de ódio  do Facebook ao longo do tempo e encontrar mais deles  antes que os usuários nos relatem. Quando começamos a relatar nossas métricas sobre discurso de ódio no quarto trimestre de 2017, nossa taxa de detecção proativa era de 23,6%. Isso significa que, do discurso de ódio que removemos, 23,6% dele foi encontrado antes de um usuário denunciá-lo. A maioria restante foi removida depois que um usuário relatou. Hoje, detectamos proativamente cerca de 97% do conteúdo de incitação ao ódio que removemos.

A quantidade total de conteúdo censurado no Facebook continua aumentando. O relatório revela que a rede social tomou medidas em 9,8 milhões de peças de "conteúdo de ódio organizado", em comparação com 6,4 milhões no último trimestre de 2020. Remoções de discurso de ódio caíram ligeiramente, em 25,2 milhões de peças de conteúdo removidas em comparação com 26,9 milhões em Quarto trimestre de 2020.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »