17/05/2021 às 14h44min - Atualizada em 17/05/2021 às 14h44min

Quem corre risco de contrair COVID-19 grave e quem é geneticamente imune ao coronavírus? Cientistas poloneses estão trabalhando no teste

Cientistas poloneses estão concluindo pesquisas que irão determinar quem corre risco de contrair COVID-19 grave. Um teste especialmente preparado também mostrará quais pessoas são geneticamente resistentes ao vírus SARS-CoV-2.

Cristina Barroso
GAZETA PRAWNA
(REPRODUÇÃO)

Anna Mazur-Kałuża da MNM Diagnostics, coordenadora do projeto "Resistente a COVID", disse ao PAP que a pesquisa terminará em julho. A busca por variantes genéticas de "imunidade" à infecção por coronavírus está em andamento. As observações mostram que muitas pessoas não são infectadas pelo vírus, apesar do contato prolongado com os pacientes, o que levou os pesquisadores a abordar esse fenômeno e examiná-lo também do lado genético.
 
O projeto deve resultar na criação de um teste que permitirá verificar quem pode estar exposto ao curso grave da doença COVID-19 e quem é geneticamente resistente ao vírus SARS-CoV-2.
 
Adrian Lejman, da MNM Diagnostics, informou que pessoas de todas as partes do país, um total de 1.230 pessoas, se inscreveram para o projeto. Os mais ativos eram os habitantes de Varsóvia e os habitantes de cidades vizinhas e os habitantes de Kielce, Cracóvia, Katowice, a Tri-City, Poznań, Szczecin e Wrocław. 600 amostras para o estudo foram enviadas para a MNM Diagnostics de pacientes do Hospital Clínico Central do Ministério do Interior e Administração em Varsóvia, que é co-fundador e parceiro do projeto.
 
O sequenciamento do genoma, ou seja, a leitura de todo o DNA do sangue das pessoas de quem as amostras foram retiradas, está em andamento. Lejman explicou que, testando um número tão grande de amostras, será possível comparar os marcadores genéticos mais comuns no grupo de COVID-resistentes com aqueles que aparecem em pessoas extremamente suscetíveis à doença.
 
“O final do projeto será, antes de tudo, listas de variantes genéticas responsáveis ​​pela gravidade da doença e pelo condicionamento da resistência à infecção pelo SARS-CoV-2. Quando esses estudos estiverem prontos, será possível criar um rápido teste baseado em tecnologia de PCR que vai permitir se uma pessoa está exposta ao curso severo do COVID-19, ou se possui variantes que os protegem contra o adoecimento ”- enfatizou Lejman.
 
Rafał Stępień, um bioinformatista que lida com análises de genoma no MNM Diagnostics, observou que a primeira versão do classificador, cuja tarefa é prever se um determinado paciente está exposto a um curso grave da doença COVID-19, já foi desenvolvida. Este é apenas um protótipo e o início dos trabalhos no classificador, mas os primeiros resultados são muito otimistas.
 
Mazur-Kałuża apontou que há alguns meses, cientistas da MNM Diagnostics, juntamente com especialistas, incluindo da Rockefeller University em Nova York já descobriram um pool de variantes genéticas responsáveis ​​pelo severo curso de COVID-19, que foi apreciado pela prestigiosa revista científica "Science" ao publicar seu trabalho.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »