28/04/2021 às 21h11min - Atualizada em 28/04/2021 às 21h11min

Urgente: Após a maior "Campanha de vacinação do mundo" a Índia pede socorro

A campanha de vacinação na Índia começou em 16 de janeiro de 2021, foram administradas 141,9 milhões de doses nos primeiros 100 dias da maior campanha de vacinação do mundo.

Cristina Barroso
(REPRODUÇÃO)
A Índia vive momento trágico da pandemia de Covid-19 após vacinar milhões de pessoas.
Depois de protagonizar a maior "Campanha de vacinação do Mundo", a índia pede socorro!!!!
A euforia de vencer o vírus vinha crescendo desde o final do ano passado.
Políticos, legisladores e parte da imprensa acreditavam que a Índia estava realmente fora de perigo.
No início de março, o ministro da saúde da Índia, Harsh Vardhan, declarou que o país estava na "fase final" da pandemia de covid-19.

Em dezembro, funcionários do banco central anunciaram que a Índia estava "derrubando a curva de infecção da covid".
Havia evidências, eles disseram,  de que após a vacinação em massa a Índia estava "surgindo em meio às sombras cada vez mais longas do inverno em direção a um lugar ao sol". 

A campanha de vacinação na Índia começou em 16 de janeiro de 2021, foram administradas 141,9 milhões de doses nos primeiros 100 dias da maior campanha de vacinação do mundo. A Índia, que tem uma população de 1,35 bilhão de habitantes, planejava vacinar 300 milhões até agosto.


Em menos de um mês, as coisas começaram a se complicar.

A Índia mergulhou nas garras de uma segunda onda devastadora do vírus e as cidades passaram a enfrentar novos lockdowns.

Alessandro Loiola, médico e escritor  declarou em seu telegram:
 
1) A Índia vinha em uma curva rapidamente descendente de mortes diárias por Covid19 desde setembro de 2020.

2) Há 100 dias, o governo indiano começou a aplicar vacinas em massa, “imunizando” milhões de pessoas.

3) A partir da primeira semana de março, a Índia entrou em uma ascendente violenta de mortes diárias por Covid19.

Em meados de abril, o país passou a ter uma média de mais de 100 mil novos casos por dia.
No domingo (18/4), registrou mais de 270 mil casos e mais de 1.600 mortes. Se nada for feito, a Índia poderá registrar mais de 2.300 mortes todos os dias na primeira semana de junho, de acordo com um relatório da força-tarefa da Índia para a covid-19 da revista Lancet.
 
A Índia agora enfrenta uma emergência de saúde pública.

A capital, Nova Délhi, acaba de impor um lockdown de uma semana depois de um aumento recorde de casos que sobrecarregou o sistema de saúde da cidade.
Os feeds das redes sociais estão cheios de vídeos de funerais de mortes por covid-19 em cemitérios lotados, parentes chorando os mortos fora de hospitais, longas filas de ambulâncias carregando pacientes ofegantes, necrotérios transbordando de mortos, além de pacientes, às vezes dois por leito, em corredores e saguões de hospitais.

Há pedidos frenéticos de ajuda para leitos, remédios, oxigênio e exames. Os medicamentos estão sendo vendidos no mercado negro e os resultados dos testes estão demorando dias. "Por três horas, eles não me disseram que meu filho estava morto", disse uma mãe atordoada em um vídeo, sentada do lado de fora de uma UTI.
 
No final do mês, a BBC relatou o aumento, questionando se a Índia estava enfrentando uma nova onda de covid-19.
"Nós realmente não sabemos qual é a causa do aumento. O que é preocupante é que famílias inteiras estão sendo infectadas. Esta é uma tendência completamente nova", respondeu na época o médico Shyamsunder Nikam, cirurgião civil de um distrito afetado em Maharashtra.
Lembram do:
"Fique em casa, a Economia a gente vê depois!"

Agora, com atual ânsia irracional por uma vacina cujo os efeitos são notórios, visíveis e severos (em alguns casos, mortais), podemos ouvir:

"Vacine-se agora, os efeitos colaterais a gente vê depois!"
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »