28/04/2021 às 14h10min - Atualizada em 28/04/2021 às 14h10min

Bitcoin disparará, mas outras criptomoedas subirão mais!

Afirma gestora de investimentos em criptomoedas Pantera Capita

Pantera Capital

A gestora de investimentos em criptomoedas Pantera Capital divulgou um relatório sobre o mercado de criptomoedas. Intitulado Five Orders of Magnitude (Cinco Ordens de Magnitude), o documento elenca dois pontos interessantes a respeito do mercado.

O documento mostra um modelo que prevê um forte aumento no preço do Bitcoin(BTC). Ao mesmo tempo, sua participação de mercado tenderá a diminuir ao longo do tempo.

Modelo relaciona preço e efeito de rede

Em seu modelo, a Pantera Capital relaciona o aumento no preço do BTC com o número de usuários da rede. A empresa destaca que este modelo tem agido desde 2010.

Para cada 1 milhão de novos usuários, o preço do BTC aumentaria em cerca de US$ 200. Com isso, a gestora estima que o BTC chegaria a US$ 200 mil quando atingisse 1 bilhão de usuários.

Em valores atuais, o preço equivaleria a R$ 1,08 milhão. O modelo tem se mostrado acertado desde 2010, com exceção de 2016, quando o aumento foi mais lento.

A gestora destaca que estes números não são fora da realidade. Segundo estimativas, cerca de 3,5 bilhões de pessoas no mundo utilizam smartphones, o único requisito para utilizar o Bitcoin.

Com tal nível de inclusão financeira, a Pantera estima que o valor do Bitcoin pode subir ainda mais. Isso pode acontecer quando uma adoção em massa de fato ocorrer.

“Usando essas relações, podemos postular um possível valor terminal para o BTC. Se o preço continuar a subir US$ 200 por milhão de usuários, o BTC se tornará bastante avaliado em US$ 700 mil. Nesse nível, ele valeria US$ 15 trilhões – ou 15% do M2 global (oferta de dinheiro total). Isso parece totalmente factível”, avalia a gestora.



Ganho de preço, perda de mercado

Apesar do otimismo com o preço, a Pantera não enxerga valor apenas no BTC. O relatório também destaca o aumento no valor do restante do mercado.

Para isso, a gestora utiliza um indicador chamado Non-Bitcoin+Ethereum Market Share. Ele avalia o crescimento do mercado excluindo as duas maiores criptomoedas.

Segundo o relatório, essa fatia do mercado praticamente dobrou nos últimos três meses. As altcoins saíram de 16% para 34% de participação, quase um terço do total.

Ao mesmo tempo, a dominância do BTC segue em queda. Neste momento ela atingiu os 49,2%, renovando seus menores níveis desde 2018.

“O BTC representa cerca de metade do valor de mercado da indústria – mas possivelmente menos da metade do valor futuro. A participação de mercado sem BTC e ETH mais que dobrou, de 16% para 34%, nos últimos três meses. Veja este mercado. É aí que provavelmente ocorrerão os maiores ganhos.”

Já a fatia de mercado do BTC e da ETH somados também caiu nos últimos três meses. Ela saiu de 78,87% em janeiro para os atuais 63,89 – queda de quase 25 pontos percentuais.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »