24/04/2021 às 12h53min - Atualizada em 24/04/2021 às 12h53min

Por que não podemos aceitar passaportes de vacinas

'Isso é inaceitável. É imoral e não podemos aceitar isso como o novo normal ', disse o chefe do Conselho de Liberdade.

Cristina Barroso
Life Site
(REPRODUÇÃO)
Não podemos aceitar o passaporte de vacinas tornando a vacina obrigatória e ceifando nossa liberdade.
Não podemos abrir mão de nossa liberdade constitucional de aceitarmos um tratamento seja ele qual for.
Caso você sofra de um câncer e não quizer se submeter  a um tratamento de quimioterapia, sua vontade é respeitada. Temos a liberdade de decidir sobre nossa saúde.
Além do mais, as pessoas vacinadas estão protegidas, as que não quiserem se vacinar é que estarão sem proteção. Portanto, é inaceitável obrigar as pessoas a se vacinarem. Ainda mais tomar uma vacina experimental e servir de cobaia.
A liberdade individual tem que ser respeitada a qualquer preço.
O outro lado da moeda da polêmica vacina tem a ver com a questão religiosa, como explica o pastor Mat Staver a seguir:

Mat Staver é pastor sênior, fundador e presidente do Liberty Counsel, uma organização cristã pró-vida que busca defender a liberdade religiosa e uma cosmovisão bíblica. Ele explica os problemas morais com a vacina COVID e passaportes de vacina obrigatórios.

“Há sérias preocupações, não apenas com a própria essência de algumas dessas vacinas experimentais - e elas ainda estão, a propósito, como você sabe, na fase experimental - mas também com o uso de fetos, células e tecidos abortados no seu desenvolvimento e, em alguns casos, na sua implementação.”

“Estou muito angustiado, francamente, com alguns líderes, protestantes e católicos, ... que se manifestaram. E eles basicamente disseram, oh, não é grande coisa. Este é um mal remoto. Bem, é um mal! ”
Ele explicou ainda que os cristãos não podem aceitar passaportes de vacina COVID-19 obrigatórios.
"Isso é inaceitável. É imoral e não podemos aceitar isso como o novo normal. Estamos lutando fortemente contra esses passaportes de vacinas obrigatórios.”

Ele disse que “o que não podemos fazer é sacrificar a liberdade por alguma suposta proteção e segurança. Nunca funcionou bem no passado para nenhuma geração ou sociedade. Esses passaportes de vacinas e os aplicativos de rastreamento e rastreamento têm mais a ver com a coleta e controle de dados do que com o tratamento de qualquer tipo de doença ou vírus.”

Mat falou também sobre a possibilidade do regime de Biden expandir o Supremo Tribunal, bem como as conexões que Kamala Harris e Xavier Becerra, o chefe pró-aborto do departamento de Saúde e Serviços Humanos, têm com a Paternidade Planejada.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »