19/03/2021 às 23h20min - Atualizada em 19/03/2021 às 23h20min

URGENTE: MP pede ao TCU o afastamento de Bolsonaro e quer Mourão no comando

No documento, Furtado solicita que o TCU reconheça a autoridade do vice-presidente, Hamilton Mourão, para comandar administrativamente o Ministério da Saúde, o Ministério da Economia e a Casa Civil.

Cristina Barroso
(REPRODUÇÃO)
O subprocurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Furtado, pediu nesta sexta-feira (19) que a Corte afaste o presidente Jair Bolsonaro da gestão da pandemia de Covid-19. No documento, Furtado solicita que o TCU reconheça a autoridade do vice-presidente, Hamilton Mourão, para comandar administrativamente o Ministério da Saúde, o Ministério da Economia e a Casa Civil.
 
O processo deve ser enviado a um relator, que pode decidir sozinho, monocraticamente, ou enviar o tema para deliberação do plenário. Lucas argumenta que a má gestão da pandemia vai gerar prejuízos aos cofres públicos.
 
E o golpe está em curso.
O STF delegou aos governadores e prefeitos  autonomia no combate a Covid-19, e eles não tiveram competência para administrá-la.
Os governadores e prefeitos, não prestaram conta do dinheiro enviado pelo governo federal para a compra de leitos de UTI, equipamentos e contatação de pessoal, usaram o dinheiro de forma indevida e agora querem culpar o presidente?
subprocurador-geral do Ministério Público, Lucas Furtado, pede o afastamento do presidente Bolsonaro da gestão da pandemia de Covid-19, mas não foi isso que o STF fez?
 
"Determinar cautelarmente o afastamento do presidente da República das funções e competências administrativas e hierárquicas relacionadas ao comando dos Ministérios da Saúde, da Fazenda, da Casa Civil e de outros eventualmente identificados como responsáveis pela inércia e omissão na execução das políticas públicas de saúde no combate à pandemia da Covid-19", diz um trecho do pedido.

Prejuizo aos cofres públicos foram os governadores e prefeitos que deram, não utilizando o dinheiro enviado pelo governo federal no combate a pandemia. A disputa política por parte desses governadores é cada vez mais clara, nunca foi pela saúde do povo.
 
Lucas Furtado afirma que disputas políticas estão gerando problemas no atendimento da população e mortes durante a pandemia. "Não se discute que toda estrutura federal de atendimento à saúde, com recursos financeiros, patrimoniais e humanos, terá representado inquestionável prejuízo ao Erário se não cumprirem sua função de atender à população no momento de maior e mais flagrante necessidade. É inaceitável que toda essa estrutura se mantenha, em razão de disputas e caprichos políticos, inerte diante do padecimento da população em consequência de fatores previsíveis e evitáveis", completa o texto.
 
Não existe data para que a decisão seja tomada.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »