11/03/2021 às 20h41min - Atualizada em 11/03/2021 às 20h41min

Desembargador revoga decisão e mantém em funcionamento a ABRACE- Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança

“Impressiona a relevância e eficácia dos extratos no tratamento de sintomas e das próprias doenças que afligem severamente os associados da autora, ainda que esse dado tenha sido colhido de forma empírica, sem a cientificidade que é desejável num caso como o presente”, declarou Cid Marconi.

Cristina Barroso
ABRACE
(REPRODUÇÃO)
O desembargador federal Cid Marconi decidiu revogar sua decisão e manteve o funcionamento da Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace). A decisão foi publicada no final da noite desta quinta-feira, 04, no Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5). O magistrado visitou as dependências da Abrace e, durante a vistoria, viu o trabalho desempenhado que atende associados de todo o Brasil.
Na decisão, senhor Cid Marconi impôs prazos para que a Abrace se adeque a determinações. O mesmo determinou prazos, também, para que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aja no que lhe é cabido, assim, precisa estar dentro do que foi solicitado em quatro meses.

A Associação tem 15 dias para providenciar o protocolo do seu projeto de ampliação, que deverá compreender as obras em andamento, que seguirá o trâmite regular junto à Anvisa, com prazos próprios, paralelamente ao projeto de regularização da produção atual de seus produtos.
Foi ainda imposto o prazo de 30 dias para que a ABRACE providencie o protocolo do projeto da estrutura que atualmente está em funcionamento, para regularização junto à Agência.
A partir deste segundo prazo, a Anvisa terá 30 dias para examinar o projeto e apontar os ajustes necessários para funcionamento, desde que todos os documentos necessários tenham sido apresentados. Depois disso, a ABRACE terá 60 dias para realizar todos os ajustes apontados pela ANVISA, prazo que poderá ser dilatado a critério da ANVISA, a depender das
peculiaridades do caso concreto.

Será criada uma comissão composta por representantes da Procuradoria e Corpo Técnico da Anvisa, que coordenará os trabalhos, além de representantes da União, Polícia Federal, Defensoria Pública da União e da própria Abrace. Serão convidados a participar, caso desejem, representante da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e dos Municípios onde eventualmente estejam localizados os cultivos da cannabis, o(s) laboratório(s) e a sede da Associação.

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) terá a função de vistoriar as instalações da Abrace, a cada 30 dias e, posteriormente, em periodicidade a ser definida pela própria Comissão. Em se despacho, o desembargador declarou que percebeu a importância da Cannabis na saúde dos pacientes.
“Impressiona a relevância e eficácia dos extratos no tratamento de sintomas e das próprias doenças que afligem severamente os associados da autora, ainda que esse dado tenha sido colhido de forma empírica, sem a cientificidade que é desejável num caso como o presente”, declarou Cid Marconi.

O desembargador ainda informou que levou em consideração o tempo de trabalho desempenhado pela Associação sem qualquer erro ter sido cometido. “Também se verifica um razoável tempo de funcionamento da Associação (pelo menos desde 2015) sem que se tenha notícia de acidentes ou de efeitos colaterais relevantes, sendo certo que os depoimentos aos quais nos deparamos caminham no sentido inverso, ou seja, de mitigação de efeitos graves, como convulsões sistêmicas e recorrentes”.

O desembargador visitou a Abrace, na última quarta-feira, 03, junto com representantes da ANVISA, da Procuradoria Federal na Paraíba, da OAB – Seccional Paraíba, da Justiça Federal na Paraíba (JFPB), da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e da Defensoria Pública da União, além do deputado Pedro Cunha Lima. Em paralelo, o TRF-5 também promoveu uma videoconferência, da qual participaram senadores da República e deputados federais.

A ABRACE é uma organização sem fins lucrativos que tem o objetivo de dar apoio às famílias que necessitam do tratamento com Cannabis medicinal, apoiar pesquisas sobre Cannabis como alternativa de tratamento e auxiliar prescritores e pacientes no que for relativo ao tema. 
Hoje a ABRACE atinge mais de 5500 associados por todo o país.
Nossa luta é para garantir uma maior qualidade de vida, para isso lutamos pelo acesso à Maconha Medicinal.
A princípio, os compostos CBD e THC são indicados pelos médicos para tratar doenças, que antes não havia tratamentos ou eram ineficazes.

Assim, o uso medicinal da planta em forma de óleos, pílulas, sprays e adesivos tem melhorado a vida de pacientes com esclerose múltipla e crianças com convulsão.

Os benefícios do canabidiol para o tratamento de doenças

Em suma, o CBD possui as seguintes suas propriedades:

Sedativas;

Anticonvulsivas;

Antipsicótico;

Analgésicas;

Anti-inflamatório;

Logo, as doenças que são tratadas com a substância são:

Esclerose múltipla;

Epilepsia;

Esquizofrenia;

Mal de Parkinson;

Dores crônicas;

Tratamento de acne e outras doenças de pele;

Função antiemética, que atua contra desconfortos estomacais.

Site da associação ABRACE: http://http://www.abraceesperanca.org.br/hplc
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »